Cinema 'drive-in' na Cidade das Artes terá 'pegada anos 1970', diz presidente da fundação

O Globo
·1 minuto de leitura

Com estreia prevista para o fim deste mês, como adiantou o colunista Ancelmo Gois, o cinema drive-in da Cidade das Artes, na Barra da Tijuca, tem tudo para ser um alento aos que clamam por entretenimento seguro na cidade em meio à pandemia do novo coronavírus. Segundo a presidente da fundação, Renata Monteiro, a ideia neste começo é montar uma programação de terça a domingo, com uma sessão noturna a cada dia. Depois, serão duas sessões por dia nos fins de semana. O espaço abrigará até 150 carros, sendo permitidas até duas pessoas por veículo.

- Essa ideia já está na nossa cabeça há bastante tempo, estamos estudando essa logística, como funcionaria esse cinema em função do isolamento. O contato vai ser praticamente nulo, com venda online de comida e bebida, e saída do carro só para ir ao banheiro. Estamos negociando com uma rede de lanchonetes para fazer a venda desses lanches - conta a presidente.

O valor do ingresso - cobrado por automóvel, e não por pessoa - ainda não foi divulgado, mas a mandatária da Cidade das Artes garante que "não será nada muito caro, pois as pessoas estão sem grana". Os bilhetes vendidos às terças serão revertidos em doações para o setor cultural. E haverá meia-entrada.

- Quero fazer uma pegada bem anos 1970. Neste início, vamos privilegiar nossos cineastas brasileiros, mas também teremos blockbusters e filmes infantis. Vai ser uma forma de entretenimento segura - avalia Renata.

Também não foram divulgados os filmes que serão exibidos na primeira semana da programação. O curador da Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio, Ricardo Cota, e a Rio Filme, empresa distribuidora do município, compõem a curadoria do novo drive-in.