Cingapura testa patrulha com robôs para detectar mau comportamento social

·1 minuto de leitura
Menino brinca em frente a robô usado em Cingapura para patrulha.

CINGAPURA (Reuters) - Cingapura começou a testar robôs para patrulhar áreas públicas e impedir mau comportamento social, em um novo esforço para aumentar o portfólio de ferramentas de vigilância.

Apontado como um dos países mais seguros do mundo, Cingapura colocou dois robôs em teste para detectar mau comportamento, como desrespeito às medidas de segurança da Covid-19, fumar em áreas proibidas e estacionamento impróprio de bicicletas, disse a agência de ciência e tecnologia de Cingapura.

Segundo a agência, os dois robôs de patrulha, chamados Xavier, são equipados com câmeras que podem detectar mau comportamento social e disparar alertas em tempo real para o centro de comando e controle. O teste ocorre numa área de grande tráfego de pedestres no centro de Cingapura.

A agência disse que durante o teste de três semanas, os robôs serão usados ​​para vigilância e exibição de mensagens para educar o público sobre o comportamento adequado. Um porta-voz da agência disse nesta segunda-feira que os robôs não serão usados ​​para aplicação da lei durante julgamentos.

"A implantação do Xavier apoiará o trabalho dos funcionários públicos, pois reduzirá a mão de obra para o patrulhamento a pé e aumentará a eficiência da operação", disse a agência.

O ministro de assuntos internos de Cingapura, K Shanmugam, disse em agosto que o país pretendia ter mais de 200 mil câmeras da polícia até 2030, mais que o dobro do número atual de câmeras instaladas em toda a nação no sudeste da Ásia.

(Reportagem de Chen Lin)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos