Cintia Dicker e Pedro Scooby falam sobre casamento, sexo e planos de aumentar a família

Alessandra Medina
·4 minuto de leitura

Pedro Scooby estava de férias, passeando com Luana Piovani, a mãe de seus três filhos, pela Times Square, a famosa praça nova-iorquina cercada por telões luminosos, quando um outdoor chamou a sua atenção. Em um painel de mais de quatro andares de altura, uma modelo, aparentemente nua, emoldurava o rosto risonho com as mãos. Os seios estavam cobertos pelos braços e a barriga, à mostra, insinuava que ela também estava sem nada na parte de baixo. “Fiquei hipnotizado, nunca vi uma mulher tão linda na minha vida. A Luana disse que a modelo era brasileira e o nome dela. Na hora, não senti nada diferente, tipo sinos, e nem passou pela minha cabeça que pudesse ficar com ela algum dia. Primeiro, eu era casado. Segundo, achava que era algo impossível. Sabe o sonho de pegar a Angelina Jolie? Era isso!”, lembra ele sobre a primeira vez que viu a mulher, Cintia Dicker, numa propaganda para Aerie, marca de lingerie da American Eagle, em 2011.

Depois disso, os dois se esbarraram algumas vezes. Numa delas, em Barra Grande, no Sul da Bahia, ela estava numa mesa de um restaurante com vários amigos em comum. Scooby chegou, cumprimentou todo mundo, menos Cintia. Ele conta que ficou tão nervoso que não conseguiu falar com a modelo. Ela, que já o conhecia por gostar de assuntos relacionados a surfe, e o achava “gatinho”, ficou com a impressão de que o futuro marido era marrento e mal-educado. Entre o momento do outdoor e o primeiro beijo foram mais de oito anos. Em 2019, Cintia entrou numa rede social e o perfil de Scooby apareceu como sugestão de amizade. Ela começou a fuxicar a conta e viu que ele postara sobre um filme. Não pensou duas vezes e mandou uma mensagem privada para saber se o longa valia mesmo a pena. Começaram a conversar, mas não foi aí que o namoro engatou. Pouco tempo depois, o surfista assumiu um romance com a cantora Anitta. Quando o relacionamento chegou ao fim, três meses depois, ele avisou que estava indo para um festival de música em Nova York, onde a modelo morava, e a chamou para ir com ele. “A gente nunca tinha conversado pessoalmente. Precisava saber se ela era aquilo tudo mesmo. E foi uma loucura porque já no primeiro dia tudo bateu e a gente só andava de mãos dadas”, conta ele. Apesar da química, preferiram não assumir compromisso. Cintia também acabara de terminar um namoro e queria ficar sozinha.

Scooby voltou para o Brasil para marcar presença no Rock in Rio com a sua grife de acessórios, a Sal, Água e Alma. Duas semanas depois, Cintia veio para o Brasil. Em outubro, ele foi para a festa de Halloween que ela organizava em Nova York. O surfista acabou ficando doente e sobrou para a modelo cuidar dele. “Tivemos uma conversa séria. Falei que íamos acabar nos machucando se não assumíssemos o namoro. E assim decidimos ficar juntos”, conta ele. A partir daí, não economizaram esforços — nem dinheiro — e viveram na ponte aérea Rio-Nova York-Lisboa. Em novembro de 2019, assinaram um contrato de união estável. Três meses depois, chegaram a romper o relacionamento por alguns dias. Na época, a imprensa noticiou que Luana estaria interferindo muito na relação. Quando soube que Cintia estava no Brasil para o carnaval, ele abandonou os amigos num camarote em Salvador e foi atrás dela. “O começo foi muito difícil. Sempre fui discreta e, de uma hora para outra, tive que lidar com os fãs das exs dele. Falaram que eu era tapa buraco, que ele estava comigo porque as outras não quiseram, que o namoro não ia durar... Fiquei tão assustada que resolvi fazer terapia para aprender a lidar com tudo isso”, revela ela.

elas fotos que ilustram estas páginas, dá para ver que o clima entre eles é quente. E sem mesmice. “Uma vez transamos durante o voo Rio-Lisboa. E não fomos para o banheiro, foi na poltrona. Coloquei a coberta e virei de lado. A gente gosta da adrenalina”, afirma ela. No começo do relacionamento, os dois trocaram muitos nudes e fizeram sexo virtual. Hoje, é tudo presencial. Afinal, estão sempre juntos e, quando um precisa viajar para cumprir algum compromisso profissional, é por pouco tempo.

Em novembro do ano passado, a modelo e o surfista oficializaram a união num cartório de Portugal. E foi tudo simples: não teve pedido romântico e a escolha da aliança também foi rápida — a mesma que usaram na campanha da Bvlgari. Por causa da pandemia, não puderam comemorar, mas têm vontade de fazer uma cerimônia simples, na areia, só para os mais chegados, uns 300 convidados (!). “Só a minha família tem umas 200 pessoas. E o Pedro parece político. Fala com tudo mundo. Quero ver como ele vai fazer para caber todo mundo na lista”, indaga ela. Enquanto isso, o casal realiza outro sonho. Comprou uma fazenda no Rio, uma casa em Minas e outra na Bahia. E planeja um filho para daqui a dois anos, mas não descarta uma gravidez antes disso. “Os meus outros relacionamentos eram mais de homem e mulher. Pela primeira vez, sinto que tenho uma amiga ao meu lado”, diz ele.