Ciro acusa Lula e Bolsonaro de usarem cargo para proteger os filhos

Toalhas estampadas com os rostos de Bolsoanro e Lula (Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino)
Toalhas estampadas com os rostos de Bolsoanro e Lula (Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino)

“O Lula é um chefe de quadrilha. O Lula, desculpe, é duríssimo dizer o que estou dizendo, mas o Lula virou um chefe de quadrilha”, disse o candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT) nesta quarta-feira (14).

O pedetista vem subindo o tom contra o petista e o presidente Jair Bolsonaro (PL). Dessa vez, o ex-ministro equiparou os dois líderes nas intenções de voto e os acusou de usarem o cargo em favor dos filhos.

“Lula e Bolsonaro são duas pessoas completamente distintas, mas qual a diferença da moralidade de Lula e de Bolsonaro? O Bolsonaro avacalhou a Presidência da República para proteger filho corrupto. O Lula, também. O nome do filho dele é… eu não vou dizer o nome porque é famílias, mas o assunto é Gamecorp. O Lulinha, filho do Lula, era administrador de zoológico. De repente, transações milionárias com a Telemar. Meu irmão, eu tava lá. Eu ajudei o Lula a vida toda. Eu vi o Lula se corrompendo”, disse Ciro em entrevista à rádio Metrópole FM, em Salvador (BA).

Na mesma conversa, o ex-governador assumiu não saber como furar a polarização entre os dois candidatos.

"Se eu fosse me render a minha humildade, eu deveria lhe dizer: não sei. Não sei, fracamente, como fazer isso", disse o presidenciável.

O candidato do PDT disputa a eleição presidencial pela quarta vez e, até o momento, aparece em terceiro lugar nas pesquisas, sem alcançar dois dígitos nas pesquisas mais recentes.

Ciro reforçou que vai continuar “lutando” para chegar à Presidência.

“Vou fazer a minha parte, trabalhando com obstinação. Não me deixo humilhar nem me abater. Pode chover canivete, e vou brigar até a morte para livrar o Brasil dessa situação, e o povo abençoado por Deus que decida na sua liberdade", afirmou.

Nesta terça (13), o candidato do PDT lançou uma campanha contra o voto útil. O investimento surge em resposta à campanha do PT que tenta conquistar eleitores indecisos para vencer ainda no primeiro turno.

Veja as últimas pesquisas eleitorais para presidente:

Qual a data das Eleições 2022?

O primeiro turno das eleições será realizado no dia 2 de outubro, um domingo. Já o segundo turno – caso necessário – será disputado no dia 30 de outubro, também um domingo.

Veja a ordem de escolha na urna eletrônica nas Eleições 2022

  1. Deputado federal (quatro dígitos)

  2. Deputado estadual (cinco dígitos)

  3. Senador (três dígitos)

  4. Governador (dois dígitos)

  5. Presidente da República (dois dígitos)