Huck presidente? Não para Ciro: 'Melhor não colocar mais um estagiário lá'

Ricardo Moraes/Reuters
Ricardo Moraes/Reuters

RESUMO DA NOTÍCIA

• Pedetista quer tentar de novo a Presidência em 2022; ele criticou Bolsonaro, Moro, Huck, Lula e o PT.

• Ciro disse não ter mais nenhum “apreço político” por Lula.

O ex-ministro e ex-governador do Ceará Ciro (PDT), terceiro colocado na eleição presidencial de 2018, disse acreditar que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) não concluirá o mandato, previsto para se encerrar em 31 de dezembro de 2022.

Em entrevista conjunta ao portal UOL e ao jornal Folha de S.Paulo, o pedetista ainda fez críticas a nomes que já se articulam para a próxima sucessão no Planalto, como o apresentador da TV Globo Luciano Huck.

Leia também

"Chega de mandar estagiário para Presidência da República", disse, sobre o apresentador.

Aos 61 anos e atualmente sem cargo eletivo, Ciro afirmou que negocia a publicação de seu quarto livro. Além disso, dá palestras sobre a situação socioeconômica do Brasil.

O pedetista ainda chamou o ministro da Justiça, Sergio Moro, de "corrupto", e afirmou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pensa em política "24 horas" e está "desmoralizando a Justiça que resta no Brasil". Sobre o petista, por sinal, disse que não tem "mais nenhum apreço político pelo Lula".

“Moro é um politiqueiro ambicioso, corrupto”

“O Moro é um politiqueiro ambicioso, corrupto, porque aceitou uma promessa de vantagem que está escrito no Código Penal, que é a corrupção passiva. Ou não é corrupção passiva receber uma promessa, antes como juiz, que ia ser ministro do Supremo?”, criticou. E prosseguiu: “Ou não é corrupção em qualquer lugar um juiz condenar político, independentemente se é ou não culpado, e depois aceitar ser ministro do político que ganhou a eleição, porque aquele outro não pôde participar da eleição? Isso é deplorável, não existe esse tipo de precedente no mundo.”

Indagado então se, em razão das críticas ao julgamento feito por Moro em relação a Lula, o petista deveria ter agarrado a chance de ir para o regime semiaberto – o que Lula recusou --, Ciro esquivou-se “Isso não é problema meu. A presença de um cidadão na cadeia é ordem do Estado e da lei, não depende da vontade dele”. Por outro lado, ao ser perguntado se haveria uma jogada política por trás da atitude, respondeu: “O Lula só faz política 24 horas por dia e está desmoralizando a Justiça que resta no Brasil”.

Renúncia de Bolsonaro

Sobre Bolsonaro concluir ou não o mandato, definiu: “Acho que não termina, mas é um mero palpite. Porque Bolsonaro não tem traquejo para o antagonismo. O Jair Bolsonaro confessa acordar de madrugada chorando aos quatro meses de governo. O Bolsonaro é o presidente que mais rápida e profundamente erodiu seu capital político de origem”, alvejou.

“Acho que ele [Bolsonaro] renuncia uma hora dessa. Eu achava [que ele renunciaria] mais cedo, porque é fatal a investigação. [...] Os filhos do Bolsonaro estão envolvidos em desvio de dinheiro público, cada um no seu gabinete, imitando a prática do velho pai, que é o Jair Bolsonaro, meu colega de Câmara. No mesmo corredor, eu era deputado e todo mundo sabia que o Bolsonaro tinha cinco a seis funcionários fantasmas que não pisavam lá, assinavam o recibo e botavam o dinheiro no bolso. E ele ensinou isso para os filhos”, disse.

Luciano Huck e “nenhum apreço político” por Lula

Já Huck foi definido pelo ex-presidenciável em tom de ironia. Questionado se ele via no apresentador condições de aglutinar partidos de centro para a próxima eleição presidencial, respondeu: “Pelo amor de Deus, chega de mandar estagiário para Presidência da República. (...) Ele é um grande artista, maravilhoso, gente boa, é amigo pessoal”, declarou. “Tenho delicadezas com ele. Mas, camarada, experiência anterior no setor público, na política? Nenhuma. Aí vamos entregar a Presidência da República no olho do furacão da pior crise socioeconômica da história do Brasil a um grande malabarista? Eu não dou meu filho para ele fazer a cirurgia.”

Se pretende falar com o ex-presidente Lula quando ele sair da cadeia?

“Não tenho mais nenhum apreço político pelo Lula. Tenho um respeito e um carinho. Sinto dor por tudo o que tem acontecido. Mas o que me chama mais a atenção é que não parece ter aprendido nada”.