'Ciro é um ser humano que vale a pena', diz Lula

Ricardo Stuckert / Instituto Lula

Candidato à Presidência da República derrotado, Fernando Haddad (PT) visitou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na quarta-feira (7) em Curitiba, onde ele cumpre pena por condenação na Lava Jato.

Esse foi o primeiro encontro entre os dois desde que Haddad perdeu as eleições para Jair Bolsonaro (PSL). No segundo turno, o ex-prefeito de São Paulo visitou seu padrinho político apenas uma vez, no dia seguinte a votação do primeiro turno.

Na quarta-feira, Haddad estava acompanhado de outros advogados. Segundo relatos detalhados pela colunista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, Lula teria falado sobre Ciro Gomes (PDT), que também concorreu às eleições presidenciais, ficando em terceiro lugar.

O PT esperava um apoio explícito de Ciro no segundo turno, que acabou não acontecendo – o pedetista viajou à Europa logo após o fim do primeiro turno e só retornou na véspera do segundo.

Em uma espécie de lançamento informal de sua candidatura em 2022, o cearense gravou um vídeo dizendo que não tomaria lado na disputa eleitoral e que, se não podia ajudar, também não iria atrapalhar.

O tom da declaração surpreendeu e irritou a campanha de Haddad. Na manhã do dia da votação no segundo turno, Haddad deu uma estocada em Ciro. Questionado sobre a atitude do pedetista, afirmou: “Vamos olhar para os brasileiros, que neste momento difícil da vida nacional, tiveram uma postura de honradez e defenderam a democracia”.

Lula disse que não esperava que Ciro se ausentasse por completo do segundo turno, mas disse separar questões políticas das pessoais e elogiou: “Ciro é um ser humano que vale a pena”.

Na reunião, o petista falou ainda sobre o juiz Sergio Moro, que aceitou ser ministro da Justiça no governo Bolsonaro. Lula afirmou que sempre acreditou que o magistrado iria para o campo político, mas disse ter ficado surpreso com a rapidez com que isso ocorreu.