Ciro erra ao falar sobre taxas de juros e reformas em governos FHC e Lula

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Ciro Gomes durante sabatina organizada pelo Correio Braziliense, em 31 de maio de 2022 (Foto: YouTube/Reprodução)
Ciro Gomes durante sabatina organizada pelo Correio Braziliense, em 31 de maio de 2022 (Foto: YouTube/Reprodução)
  • Pré-candidato à Presidência participou da sabatina realizada pelo Correio Braziliense na última terça-feira (31)

  • Na ocasião, Ciro falou de seus projetos e analisou o cenário político-econômico atual e de anos anteriores

  • Ciro Gomes cometeu falhas ao tratar sobre o ranking da taxa de juros e sobre as reformas estruturais dos governos de FHC e de Lula

Na última terça-feira, o jornal Correio Braziliense realizou uma sabatina com presidenciáveis. Com 7% de intenções de voto, segundo o Datafolha, o ex-governador do Ceará, ex-ministro de Estado, advogado e professor universitário Ciro Gomes (PDT) esteve presente na entrevista.

Confira a apuração da reportagem do Yahoo! Notícias sobre algumas de suas afirmações

"[...] Fazendo com que consistentemente a taxa de juros no Brasil seja a maior do mundo"

Pré-candidato à Presidência, Ciro Gomes (PDT), em sabatina em 31 de maio de 2022

De acordo com o ranking mundial de juros reais – da MoneYou e da Infinity Asset Management – o Brasil não tem atualmente a maior taxa de juros do mundo.

O país ocupa a quarta posição com uma taxa de juros nominais de 12,75%, atrás da Turquia (14%), Rússia (14%) e Argentina (47%). Os dados são do relatório de maio deste ano.

Em 2021, o Brasil também não fechou o mês de dezembro no topo da lista. Com 9,25%, o país ficou em terceiro lugar. A Turquia ocupou a segunda posição com 15% e a Argentina ficou em primeiro com 38%.

"Nem o Fernando Henrique, nem o Lula, nem a Dilma, ninguém propôs nenhuma reforma estrutural para o país [no primeiro mandato]"

Pré-candidato à Presidência, Ciro Gomes (PDT), em sabatina em 31 de maio de 2022

Em seu primeiro ano de governo como presidente, em 1995, Fernando Henrique Cardoso (PSDB) enviou ao Congresso Nacional a Proposta de Emenda Constitucional nº 33/95. A PEC previa a reforma da previdência. O projeto foi aprovado três anos depois, em 1998.

Já no seu primeiro mandato, em 2003, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) entregou ao Congresso duas propostas de reforma. Uma tinha como alvo a previdência social e outra, o sistema tributário. Naquele mesmo ano, a reforma previdenciária foi aprovada, assim como parte das mudanças tributárias.

Procurada pela reportagem do Yahoo! Notícias, a assessoria de Ciro Gomes não retornou até a publicação desta verificação.

Afirmações do pré-candidato também foram verificadas pela Agência Lupa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos