Ciro Gomes: 'câmara de gás' da PRF é consequência da 'bolsonarização das polícias'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Ciro Gomes fez críticas sobre a aborgem que levou à morte de Genivaldo de Jesus Santos (Foto: Fabio Vieira/FotoRua/NurPhoto via Getty Images)
Ciro Gomes fez críticas sobre a aborgem que levou à morte de Genivaldo de Jesus Santos (Foto: Fabio Vieira/FotoRua/NurPhoto via Getty Images)

Resumo da notícia

  • Ciro Gomes criticou abordagem da Polícia Rodoviária Federal na morte de Genivaldo de Jesus Santos

  • Segundo Ciro, tipo de abordagem seria consequência de uma "bolsonarização" das polícias

  • Pré-candidato afirmaque teria exonerado superintendente e Ministro da Justiça

Pré-candidato à presidência da República, Ciro Gomes (PDT) declarou que a morte de Genivaldo de Jesus Santos, vítima de asfixia durante uma abordagem da Polícia Rodoviária Federal, é consequência de uma “bolsonarização de uma parte importante das polícias”.

Questionado sobre o que faria com os agentes responsáveis pela morte de Genivaldo, Ciro Gomes declarou que os policiais seriam “imediatamente afastados das suas funções, responderiam um inquérito administrativo para serem demitidos e tem que responder a júri. Porque cometeram crime doloso contra a vida”. As declarações foram feitas em entrevista ao portal g1.

Ciro Gomes ainda disse que demitiria o superintendente da Polícia Rodoviária Federal e também o Ministro da Justiça. Parao pedetista, é preciso criar uma cultura de exemplaridade e de tensão das instituições, para que o sistema funcione.

“Bolsonaro é organicamente ligado com as milícias do Rio de Janeiro. O Bolsonaro vai votar no impeachment e vota em um torturador bárbaro, o único que foi condenado pela Justiça. Se o presidente é assim, o que aconteceu com as polícias? Acontece isso, a bolsonarização de uma parte importante das polícias”, declarou.

Relembre o caso

Genivaldo de Jesus Santos, de 38 anos, foi morto no dia 25 de maio após ser encurralado por policiais rodoviários em Umbaúba, no sul do estado do Sergipe. Imagens mostram ​​Genivaldo sendo imobilizado por homens enquanto outro tinha arma na mira. A vítima sofria de transtornos mentais. As informações são da Ponte Jornalismo.

Genivaldo se contorceu, pedindo por socorro e depois foi prensado no porta-malas da viatura. Relatos de testemunhas mostram que havia fumaça e spray de pimenta no momento do ocorrido. Wallyson de Jesus, sobrinho da vítima, contou que informou aos policiais sobre o transtorno mental do tio.

“Eles pediram para que ele levantasse as mãos e encontraram no bolso dele cartelas de medicamentos. Meu tio ficou nervoso e perguntou o que tinha feito. Eu pedi que ele se acalmasse e que me ouvisse”, desabafou. Quando foi colocado na mala do carro, Genivaldo já estava desacordado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos