Criticado, Ciro Gomes diz não ser irrelevante nas eleições e sim “a única solução”

Ciro Gomes aparece em terceiro nas pesquisas de intenção de votos - Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino
Ciro Gomes aparece em terceiro nas pesquisas de intenção de votos - Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino
  • Ciro Gomes diz não ser irrelevante nas eleições deste ano;

  • Candidato à Presidência defendeu "ser a única solução" para combater o sistema político atual;

  • Ele também criticou o voto útil, apontando a tática como impedimento para o combate à corrupção.

O candidato à Presidência pelo PDT, Ciro Gomes, afirmou nesta quinta-feira (22) que não ocupa uma posição irrelevante nas eleições deste ano e defendeu ser “a única solução” para combater o sistema político atual.

“Se eu fosse a irrelevância com que quiseram me tratar, eu não estaria tendo o tratamento preferencial dos fascistas de direita e de esquerda no Brasil. O que significa que estou tocando no que eu queria tocar”, afirmou, em conversa com jornalistas na sede da Delegação da União Europeia do Brasil, em Brasília.

Nesta quarta-feira (21), líderes políticos e ex-presidentes de países da América Latina divulgaram uma carta aberta, pedindo ao pedetista para abandonar a candidatura e apoiar Lula (PT) no primeiro turno das eleições. Ciro, no entanto, tem uma posição contrária ao pedido. “Estou denunciando o coração de um sistema podre que conseguiu subornar o centro do processo político brasileiro. E eu sou a única solução para isso”.

Ao ser questionado sobre o voto útil – estratégia em que o eleitor escolhe um candidato que não é seu preferido, mas que tem mais chances de vencer um outro ao qual rejeita – Ciro disse que a tática atrapalha o combate à corrupção.

“Temos que fazer do nosso voto uma coisa útil contra a corrupção. Votar em candidato corrupto é uma coisa inútil. Mais do que isso, compromete o futuro da nação brasileira. E é isso que o PT e o Bolsonaro não querem. Eles gostariam muito de que as pessoas entendessem que voto útil é você esquecer questões graves, como a corrupção, o mesmo modelo econômico trágico que produziu desemprego em massa. Portanto, vou continuar trabalhando com serenidade e equilíbrio”, garantiu.

De acordo com a última pesquisa do Ipec, divulgada em 19 de setembro, Ciro ocupa o terceiro lugar na corrida presidencial, com 7% das intenções de voto. Em primeiro, aparece Lula, com 47%, seguido por Jair Bolsonaro (PL), com 31%.

Veja as últimas pesquisas eleitorais para presidente: