Ciro rebate Lula e diz que petista não foi a Paris porque estava preso

***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 28.08.2022 - O candidato à Presidência da República do PDT, Ciro Gomes. (Foto: Bruno Santos/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 28.08.2022 - O candidato à Presidência da República do PDT, Ciro Gomes. (Foto: Bruno Santos/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Durante o primeiro debate presidencial na TV, Ciro Gomes (PDT) reagiu à fala de Lula (PT) segundo a qual ele teria viajado para Paris no segundo turno das eleições de 2018 para não votar em Fernando Haddad (PT) e disse que o ex-presidente não fez o mesmo porque estava preso.

A resposta de Ciro foi feita fora do microfone, durante a fala de Lula, por isso foi ouvida por poucos telespectadores. No entanto, no estúdio, foi possível escutar com nitidez a intervenção do pedetista.

O petista dizia que Ciro estava errado em colocar em sua conta a responsabilidade da vitória de Bolsonaro.

"Quando o Ciro joga nas minhas costas a responsabilidade da escolha do cidadão [Bolsonaro], eu queria dizer que eu não fui para Paris. Eu não saí do Brasil para não votar no Haddad", disse Lula.

O pedetista, então, interrompeu e disse duas vezes "porque você estava preso", o que fez com que gargalhassem Jair Bolsonaro (PL) e seus aliados que estavam na plateia —casos de Fábio Faria, ministro da Comunicação, e Fabio Wajngarten, ex-titular da mesma pasta.

O pedetista já disse em diversas ocasiões que voltou de Paris a tempo de votar no petista no segundo turno de 2018. No entanto, ele não fez campanha por Haddad na época.

Lula ainda retrucou Ciro e disse que foi preso porque sabiam que ele iria ganhar as eleições em 2018. "E você sabe que eu fui absolvido em todos os 26 processos", afirmou o petista, o que também foi contestado fora do microfone por Ciro, que falou "não foi absolvido".