Ciro se diz 'preocupado' e pede tempo para decidir sobre apoio no 2º turno

Em rápida coletiva, Ciro se disse 'preocupado' e pediu tempo para decidir sobre apoio no 2º turno. (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Em rápida coletiva, Ciro se disse 'preocupado' e pediu tempo para decidir sobre apoio no 2º turno. (Foto: REUTERS/Adriano Machado)

Quarto colocado na eleição à presidência da República, o candidato Ciro Gomes (PDT) fez uma rápida coletiva de imprensa, na noite deste domingo (2), com os resultados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) praticamente consolidados com Lula (PT) e Jair Bolsonaro (PL) no 2º turno.

Abatido e abalado, Ciro se disse "profundamente preocupado" com o cenário eleitoral e classificou a atual situação como "complexa, desafiadora e ameaçadora".

Ao contrário do que indicavam os principais institutos de pesquisa, a vantagem de Lula nos votos válidos para Bolsonaro foi mais discreta, com o Sudeste assumindo parte dessa discrepância.

Com o resultado já sacramentado pelo TSE, garantindo um 2º turno, Lula tem 47% dos votos válidos, enquanto Bolsonaro tem 43%.

Simone Tebet (MDB) tem 4%, e Ciro apenas 3%.

Ciro, em um discurso de pouquíssimas palavras, pediu mais tempo para decidir sobre um eventual declaração de apoio no 2º turno.

"Eu quero agradecer do fundo do coração aos brasileiros, que deram a mim o seu voto. Quero dizer que estou profundamente preocupado com que estou assistindo acontecer no Brasil. Eu nunca vi uma situação tão complexa, desafiadora e ameaçadora. Por isso, peço a vocês que me deem umas horas para conversar com meus amigos, com meu partido para decidir que rumo iremos tomar para melhor servir à nação brasileira".

Eleições 2022: Como foi até aqui a campanha de Ciro Gomes (PDT) à presidência

Em sua quarta -e anunciada por ele mesmo como última- candidatura à Presidência, Ciro Gomes (PDT) chega à reta final de campanha com os prós e contras de ser político há 40 anos, indo de deputado estadual a ministro.

Misturando um discurso técnico e raciocínios complexos sobre economia com linguajar popular e falas polêmicas, Ciro manteve um patamar estável de apoio nos pleitos anteriores: 11% dos votos válidos em 1998, 12% em 2002 e 12,4% em 2018.

O programa de governo de Ciro foi dividido em 12 propostas principais, com ênfase em aspectos econômicos e educacionais. Também se destacam temas ligados ao combate à corrupção, a políticas para as mulheres e a projetos para a cultura.

Ciro propõe criar um programa de transferência de renda, batizado de Eduardo Suplicy, com o objetivo de garantir R$ 1 mil, em média, para famílias mais pobres. O candidato também promete aumentar o salário-mínimo sempre acima da inflação. Outra vertente importante do programa de governo do PDT é o combate à corrupção e à violência.

Esta nota está sendo atualizada