Citado por empresária do caso Ronaldinho, senador Eduardo Gomes nega relações com paraguaia

Marjoriê Cristine
Ronaldinho Gaúcho com o político Oscar “Nenecho” Rodriguez e a empresária Dalia López Troche

Ronaldinho Gaúcho foi detido com documentos falsos, na noite de quarta-feira, em Assunção, no Paraguai, foi interrogado na quinta e liberado pelo Ministério Público de qualquer acusação pelo porte de passaporte e identidade adulteradas. Mas um senador brasileiro teve o nome citado por uma das empresárias que levaram o ex-jogador para eventos sociais na capital paraguaia. Líder do governo no Congresso, Eduardo Gomes (MDB-TO) apareceu em uma entrevista da empresária Dalía Angélica López Troche à revista "Caras", da Argentina, que citou ter "respaldo de amigos brasileiros e do presidente da Frente Parlamentar Paraguai-Brasil", que no caso é o senador brasileiro.

A assessoria de imprensa de Gomes negou qualquer relação entre as partes, explicou que ele esteve apenas uma vez com a empresária paraguaia, que é investigada por lavagem de dinheiro e evasão de divisas, quando a mesma fez parte de uma comitiva paraguaia que esteve em Brasília. Dalía era uma das quatro pessoas que estavam com Adriana Mendoza, que representou deputado paraguaio Freddy Tadeo D'Ecclesiis Giménez, em uma visita em maio de 2019.