Cláudio Castro promete pagar servidores até o 5° dia útil a partir do ano que vem

Camilla Pontes
·2 minuto de leitura
Foto: ANTONIO SCORZA / Antonio Scorza
Foto: ANTONIO SCORZA / Antonio Scorza

O governo estadual do Rio vai pagar o 13º salário de servidores ativos, aposentados e pensionistas no dia 15 de dezembro. O valor será creditado de uma só vez. A informação foi divulgada ontem, pelo governador em exercício, Cláudio Castro. Ele informou que o salário de outubro dos mais de 460 mil servidores ativos, aposentados e pensionistas do estado será pago na próxima sexta-feira. Já os vencimentos de novembro vão cair nas contas no dia 1° de dezembro. Castro disse, ainda, que o governo vai trabalhar para pagar os salários até o 5° dia útil do mês, a partir de 2021:

— Esse foi um ano impossível de prever. Diante desse ano difícil, dar uma notícia dessa me deixa muito satisfeito. Esse é um trabalho duro, que vem sendo feito desde o ano passado para reequilibrar as contas.

As informações foram recebidas com alívio para a categoria, num ano em que o caixa do governo foi fortemente atingido pela crise provocada pela pandemia. No auge da crise, chegou a atingir um déficit de R$ 11,6 bilhões. O secretário estadual de Fazenda, Guilherme Mercês, disse que a projeção para o fim do ano é o caixa fechar com saldo positivo de R$ 600 milhões.

“O pagamento em dia dos salários dos servidores do estado é um dos itens de maior relevância dentro desse processo. Serão mais de R$ 6 bilhões injetados na economia fluminense pelos próximos 30 dias”, informou a Secretaria estadual de Fazenda.

Castro lembrou as últimas ações que ajudaram o estado a recuperar boa parte do rombo, como o socorro financeiro da União, a renegociação do contrato de antecipação dos royalties e a renegociação do contrato da Petrobras. O governador em exercício ressaltou a importância das finanças do estado não serem uma caixa preta, sem transparência. O governo também conseguiu apresentar as compensações financeiras, como o bloqueio de mais de 11 mil cargos, ao Conselho Fiscal do Regime de Recuperação Fiscal. Mercês explicou que algumas ações em andamento, sem especificar quais, podem render ainda R$ 1,5 bilhões para o Rio.