Clarissa Müller é a diva bissexual que a geração Z precisa

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Voz por trás da canção "Nada contra (ciúmes)", considerada um hino bissexual, Clarissa Müller afirma que a composição ainda gera confusão na sua família. Na letra, ela canta sobre seu interesse em um menino e uma menina.

“Eu não tenho tanta certeza que meu pai entendeu ainda. Ele escuta as músicas e pensa: ‘Que bonita essa amizade delas duas’”, confessa em entrevista ao Yahoo. A faixa dominou o TikTok e é um dos destaques na carreira musical da jovem de 22 anos.

A música foi divulgada pela artista quando ela ainda não era assumida para sua família. Apesar de já ter atuado como uma mulher que também gosta de mulher no filme “AnaVitoria”, a bissexualidade ainda estava no armário.

“A minha mãe já sabia, mas o restante da minha família não”, revela. "Ninguém teve nenhuma reação desagradável. Mas com o clipe de 'Ela', foi botar um pé na porta e dizer que eu sou essa pessoa".

A diva bi da geração Z

Clarissa ficou conhecida pelo público ao dar vida à personagem Cecília, ao lado do duo AnaVitória. Ela era o interesse amoroso de Ana, e teve a oportunidade de se tornar um símbolo na comunidade LGBTQIA+ por conta desse trabalho. "Eu lembro com muito carinho dessa época, foi tudo muito lindo”, relembra.

Apesar de ter sonhado em seguir como atriz, Clarissa passou a dedicar seu tempo para música - e aí sim, escreveu uma das canções que dominou a plataforma de vídeos. Ela conta que recebe vários feedbacks de fãs, dizendo que ela leu suas mentes.

"Eu tento encontrar maneiras de dizer que sejam muito universais, que todo mundo se identifique. Eu me inspiro muito nas coisas que aconteceram comigo, mesmo que elas não estejam acontecendo na hora".

Aos 22 anos, Clarissa sonha em empoderar suas fãs no processo de descoberta da sexualidade. "Eu estou tentando dar esse exemplo maneiro para meninas que sejam mais novas que eu", conta a jovem.

A caminhada, no entanto, não é tão fácil e ela precisa lidar com a invisibilidade social que a comunidade bissexual enfrenta diariamente. “Por eu ser bissexual, eu sinto que eu preciso sempre falar sobre isso nas músicas. No sentindo ruim, assim", desabafa.

As pessoas não entendem que eu sou bissexual. Depois que eu fico com um menino, inclusive agora estou namorando um, as pessoas esquecem. O B de LGBT vem pra lembrar que não é de biscoito"Clarissa Müller

Próximos planos

Após viralizar no TikTok, Clarissa planeja sair em turnê com suas músicas. Recentemente, ela se apresentou no projeto "Ibis Music", em São Paulo, e garante que a agenda está cheia para o fim do ano.

Concomitante a isso, segue a carreira de atriz. Ainda neste ano, o público vai poder ver Clarissa em uma série musical na Netflix, intitulada "Só se for por amor". "Estou muito animada, e com bastante expectativa. Tenho certeza de que vai ser muito legal", promete.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos