Classe média paga mais mais Imposto de Renda do que super-ricos

O valor do imposto é proporcionalmente maior para quem tem menos dinheiro para pagar
O valor do imposto é proporcionalmente maior para quem tem menos dinheiro para pagar. (Getty Image)
  • Auditores da Receita Federal realizaram um levantamento

  • Pessoas que recebem 320 salários mínimos pagam 5,25%

  • Quem ganha de cinco a sete salários mínimos desembolsam 7,7%

Quando o assunto é taxação de grandes fortunas, algumas pessoas parecem ficar com medo de serem cobradas pelo Corsa que financiaram em 5 anos ou por causa da casa de praia em Santos.

Mas esse bens não se encaixam na definição de riqueza. Existe uma pequena fatia da população brasileira que detém uma grande quantidade de dinheiro e que, proporcionalmente, paga menos tributos do que a classe média. Pelo menos é isso que um levantamento realizado pelos auditores da Receita Federal aponta.

O estudo detectou que os assalariados de renda média pagam mais Imposto de Renda (IR) do que os super-ricos. Na prática, contribuintes com renda mensal superior a 320 salários mínimos (R$ 334,4 mil) desembolsam uma alíquota efetiva de IR de apenas 5,25%. O percentual representa é recolhido em IR como proporção do rendimento total de quem paga.

Essa é a mesma porcentagem cobrada para pessoas que ganham de cinco a sete salários mínimos (de R$ 5,2 mil a R$ 7,3 mil), que atualmente são taxados em 4,91%. O valor é inferior ao observado na faixa de sete a dez salários (R$ 7,3 mil a R$ 10,4 mil). Os integrantes da classe média pagam 7,7% dos rendimentos.

O cálculo, realizado pelo Sindifisco Nacional, sindicato que reúne os auditores da Receita Federal, utiliza os dados das declarações deste ano. Ele aponta que que o imposto é proporcionalmente maior para quem tem menos dinheiro para pagar.

Ou seja, taxar mais grandes fortunas não vai comprometer a renda de quem ganha um salário ligeiramente acima da média. Essa movimentação só mexe na conta bancária de quem não sentiria falta de alguns dígitos a menos.