Classic blue: veja como usar a cor de 2020 na decoração da casa

Ana Carolina Diniz
Sala projetada pelo arquiteto Mauricio Nobrega com paredes azuis

RIO - A segurança e solidez do azul clássico foi escolhido como a cor de 2020 pela companhia Pantone, instituto de pesquisa internacional de tendências de cores. A tonalidade promete invadir a decoração representando, “uma tonalidade atemporal e duradoura, elegante em sua simplicidade”, diz o comunicado da empresa. Muito utilizado em projetos de arquitetura, o azul clássico vai bem em qualquer cômodo.

— Depende apenas de onde será aplicado. Ele pode aparecer em paredes de sala e quartos, através de pintura ou papéis de parede; em revestimentos de banheiro e cozinha; e até mesmo na marcenaria, pois armários e portas azuis deixam os ambientes mais alegres e menos convencionais — dizem as arquitetas Bitty Talbot e Cecília Teixeira , do escritório Brise Arquitetura.

Para a arquiteta Lucilla Pessoa de Queiroz, o azul é uma cor, de certa forma, neutra que faz um “match” perfeito com todas as outras.

—Poucas são as cores que não se encaixam de alguma forma com o azul. É a forma que você tem de dar uma cor na sua decoração aquecendo o ambiente sem agredir, ela entra sem pedir licença, entra sutil mesmo nos tons fortes e se adequa a natureza como poucos, essa é a cor azul —filosofa.

Como é uma cor fria, o arquiteto Rodrigo Barbosa, diz que é preciso estar alerta para não virar um ambiente muito “triste”.

— Azul é uma cor fria, como o verde e o roxo. Devemos sempre saber dosar a utilização este tipo de tom na decoração, para que não se tornem ambientes muito melancólicos. Um tom mais escuro é muito utilizado em escritório e em recepção. Tome cuidado na dosagem para que não fique um espaço extremamente sombrio —diz ele.

A arquiteta Bianca da Hora recomenda que, se o cômodo for muito pequeno, não pinte todas as paredes com o classic blue, pois poderá parecer ainda menor.

—Mas essa “regra” se aplica a qualquer tom mais fechado, pois trata-se de um efeito ótico. Já em relação ao mobiliário e acessórios, não há nenhum impeditivo, mas use sempre com bom senso — aconselha.

Para Cristina Bezamat,o azul clássico encaixa melhor em cômodos mais íntimos da moradia.

—Em ambientes da área social, uso de maneira mais restrita, eventualmente em uma peça de decoração. No quarto acho que poderíamos usar as duas opções: se for amplo, vale usar nas paredes. Se não, usaria na cama ou em um móvel de apoio, tipo uma poltrona, banqueta —afirma ela, que adorou a escolha da Pantone:

— Abaixo a ditadura da casa toda em cores neutras!