Claudia Alencar relata tortura que sofreu na Didatura: 'Choque e pau de arara'

Claudia Alencar relembrou um período doloroso da sua vida quando, aos 20 anos, foi torturada na ditadura militar.

Em entrevista ao podcast "Papagaio falando", apresentado por Sérgio Mallandro e Renato Rabelo, ela relatou ter sido presa e torturada por fazer uma peça criticando o regime militar da época.

"Foram me buscar em casa. (...) Me torturavam muito. Me puseram um capuz e já começaram a me pisotear no carro, me jogaram numa cela fria, lá em São Paulo. Uma cela onde a gente fazia as necessidades lá mesmo. Eram choques e mais choques. Me puseram num pau de arara...", lembrou ela, emocionada, se referindo à uma barra de ferro na qual o prisioneiro é pendurado com as mãos amarradas de ponta-cabeça.

"Chegaram a abusar de você sexualmente?", perguntou Sérgio Mallandro. "Eu não quero nem falar disso", respondeu Claudia emocionada, após um longo suspiro.

"Fiquei com muito medo. Não falei nada para os meus pais o que eu tinha sofrido. Estava machucada e [depois que sai da prisão] fiquei um mês sem sair do meu quarto", lembra.

Durante o papo, Claudia também afirma já ter sido vítima de violência doméstica. A atriz de 72 anos contou em ter tido pai e um namorado violentos.

"Violência me tira do sério. Eu vivi violência doméstica, e sai incólume de todas essas experiências. Eu saí viva, feliz, eu estou bem. Meu pai era violento, e eu também tive um namorado violento... Ele era violento", disse ela, acrescentando que o namoro durou um ano.

Claudia lembra que na época que sofreu agressões do namorado não existia a Lei Maria da Penha, criada em agosto de 2006.

"A gente sofria calada e não sabia que podia denunciar. Denuncie, meninas".