Claudia Andujar e Léa Garcia vencem Prêmio Milú Vilela

Na noite desta quinta-feira (10), foram anunciados os vencedores do Prêmio Milú Villela, promovido em celebração aos 35 anos do Itaú Cultural. Foram contempladas 10 personalidades da cultura brasileira, entre elas, a fotógrafa Claudia Andujar, a atriz Léa Garcia e o líder indígena Marcos Terena. Cada um dos vencedores recebeu um troféu e R$ 150 mil. A cerimônia de premiação ocorreu no Auditório Ibirapeura – Oscar Niemeyer, em São Paulo.

Muito além da antropologia: Narrativas indígenas inspiram ficção brasileira

Hanna Limulja: 'O pesadelo dos yanomami é o garimpo'

O Prêmio Milú Vilela tem cinco categorias: Aprender (práticas reflexivas ou investigativas na área de educação), Criar (artistas-criadores com trajetória de extrema relevância entre 1987 e 2022), Experimentar (criadores que impulsionaram transformações nas linguagens artísticas), Inspirar (pensadores que transformaram seus campos de atuação) e Mobilizar (líderes ou coletivos que transformaram cenários).

São premiadas duas pessoas por categoria. Os premiados são: a poeta Leda Maria Martins e o pensador quilombola Nego Bispo (Aprender); Claudia Andujar e Léa Garcia (Criar); a cantora e compositora Cátia de França e a companhia teatral Ói Nóis Aqui Traveiz (Experimentar); o gestor cultural Danilo Miranda e a ativista transgênero Neon Cunha (Inspirar); e a artista Inaicyra Falcão e Marcos Terena (Mobilizar).

Prêmio Jabuti 2022: Romances de mulheres dominam lista de finalistas

“O Brasil tem muitas pessoas no universo cultural cujo trabalho foi e é estruturante. Nesse sentido, suas ações são essenciais para impulsionar, multiplicar e dialogar com os muitos brasis a possibilidade de ampliação da participação artística e cultural”, disse, em nota, o presidente da Fundação Itaú, Eduardo Saron. “Dedicamos esse prêmio a eles, não somente para jogar luz em seu legado, como também para celebrar as suas trajetórias e sobretudo para nos inspirarmos nas suas lutas.”

O nome do prêmio homenageia a filantropa Milú Vilela, que presidiu o Itaú Cultural entre 2001 e 2019. Também foi lançado nesta quinta o site Milú Vilela.