Claudia Matarazzo dá dicas para não fazer feio na casa dos outros neste fim de ano

Raphaela Ribas

Hoje já é dia de pôr o pé na estrada para as festas de fim de ano, uma época em que é muito comum se hospedar na casa de amigos e familiares, e também de recebê-los. A farra de todo mundo junto tem tudo para ser divertida, seja pela companhia ou economia, porém, é preciso ter “semancol”.

A consultora de comportamento e estilo Claudia Matarazzo, que tem livros e um site que ensina regras da etiqueta, dá dicas para não fazer feio na casa dos outros neste fim de ano:

— É fundamental respeitar a data combinada do convite. Mesmo que o anfitrião insista, não fique mais. E fique a par da rotina da casa. É o hóspede quem tem que se adequar, e não o contrário.

Outra atitude aconselhada por ela é levar algo para o dono da casa, o que, segundo ela, não precisa ser caro. — Pode ser algo para casa ou até mesmo um doce caseiro. O que vale é o gesto.

Em relação ao dia a dia, ela sugere que o convidado ajude nas tarefas da casa e nas despesas.

— Não precisa ficar perguntando se precisa de ajuda. Vá ao mercado e compre algo ou apenas comece a fazer. Se você perceber que o dono da casa prefere fazer tudo sozinho, aí você se afasta. E, se houver empregados, não dê ordem diretas a eles, muito menos uma contraordem. Por fim, não leve mais ninguém. Pode ser um almoço, mas convidado não convida — afirma.

Quanto aos anfitriões, ela também orienta dar um mimo, que pode ser um kit de boas-vindas com um chocolate ou um guia com os serviços próximos, por exemplo. Claudia lembra ainda que é importante deixar uma chave reserva e avisar sobre a chegada desta pessoa na portaria, para que o hóspede tenha liberdade e se sinta esperado:

— É fundamental que ambos tenham tempo livre e sejam independentes. Uma coisa é programar, outra é cansar com tantas atividades. É bom que o hóspede tenha um tempo livre e o anfitrião também.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER ( OGlobo_Bairros )