Claudio Castro defende ministro Pazuello: 'Não tenho dúvidas que em janeiro teremos vacina'

Lucas Altino
·2 minuto de leitura
Gabriel de Paiva em 09-10-2020 / Agência O Globo

RIO — O governador em exercício do Rio, Claudio Castro, que vem, reiteradamente, demonstrando apoio ao Plano Nacional de Vacinação, a despeito de propostas de outras articulações para compra de vacina, como no caso de São Paulo, afirmou não ter dúvidas que "em janeiro teremos vacina". Na manhã desta terça, Castro deu uma entrevista a Super Rádio Tupi, e declarou confiança no trabalho do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

— Vai ter vacina ano que vem. Não se preocupem. Hoje é uma batalha política, mas temos que entender que desde a Constituição de 1988 temos o SUS e o Plano Nacional de Imunização, que funcionou para tudo. Funcionou em todas doenças que erradicamos. Lá são técnicos, não são políticos. Tem que acreditar no general Pazuello, que tem uma missão muito difícil. Estados estão apoiando ele. A grande missão do Rio é ter a logística pronta para quando a vacina chegar. Não tenho dúvida que em janeiro teremos a vacina, pelo o que converso com ele. Nem que seja no finalzinho (de janeiro) — afirmou Castro, que tranquilizou sobre grandes eventos em 2021. — Em julho vai ter carnaval, e depois vai ter Rock in Rio.

Durante a entrevista para a rádio, o governador em exercício não foi questionado sobre a prisão do prefeito Marcelo Crivella nesta manhã. Em cerca de 20 minutos de conversa, Castro falou basicamente sobre seus feitos no curto período à frente do governo estadual. Ao lembrar que estamos em um "ano totalmente atípico", o governador explicou que teve "quatro meses para arrumar a casa", principalmente no aspecto fiscal, para superar o déficit previsto de R$6,2 bilhões.

Pelo ponto de vista político, Castro defendeu a retomada do diálogo com governo federal, e a negociação para prorrogação do Regime de Recuperação Fiscal. Ao final da entrevista, Claudio Castro, que é cantor e tem inclusive CDs gravados, tocou e cantou uma música gospel.

— Nesse ano perdemos o direito de ir e vir e muita gente teve depressão. Mas acredito que Deus sempre tem um plano para gente — dedicou, no início da canção, o governador.