Cláudio Castro define Thiago Pampolha como vice-governador em sua chapa

Candidato à reeleição, Cláudio Castro aparece em primeiro nas pesquisas eleitorais (MAURO PIMENTEL/AFP via Getty Images)
Candidato à reeleição, Cláudio Castro aparece em primeiro nas pesquisas eleitorais

(MAURO PIMENTEL/AFP via Getty Images)

  • Cláudio Castro define Thiago Pampolha como vice em sua chapa;

  • Deputado estadual substitui Washington Reis, que teve a candidatura indeferida pelo TRE-RJ;

  • Pampolha está em seu terceiro mandato na Alerj e acumula acusações de compra de votos e outras.

O deputado estadual Thiago Pampolha (União Brasil) foi escolhido como candidato a vice-governador na chapa de Cláudio Castro (PL). A decisão foi tomada cinco dias após o Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) indeferir a candidatura de Washington Reis (MDB), enquadrado na Lei da Ficha Limpa.

Na semana passada, a coluna de Igor Gadelha, do Metrópoles, apontou Vinicius Farah e Márcio Canella, ambos do União Brasil, como nomes sugeridos pelo partido a Castro. Farah, inclusive, foi destacado como a possível substituição.

Entretanto, não foi com facilidade que o atual governador abriu mão de Reis. Mesmo após a decisão do TRE-RJ, o candidato à reeleição afirmou que pensou em “quatro ou cinco possíveis nomes” para substituir o ex-prefeito de Duque de Caxias, mas que não estava confirmada a decisão da troca. Na última sexta-feira (9), Reis renunciou à vaga de vice na chapa de Castro.

Quem é Thiago Pampolha

Em seu terceiro mandato consecutivo de deputado estadual, o candidato a vice tornou-se um dos mais jovens parlamentares da história da Alerj. Sua primeira legislatura foi em 2010, quando tinha 23 anos de idade.

Nos últimos anos, Pampolha saiu do PDT para se filiar ao União Brasil. Ele teve atuação parlamentar com foco na defesa da agenda da educação e juventude, presidiu a Comissão de Meio Ambiente e foi secretário estadual, em 2017, de Esporte, Lazer e Juventude.

Apesar de não possuir condenações e ter a candidatura deferida pelo TRE, o novo vice de Castro foi acusado de abuso de poder econômico eleitoral, compra de votos e envolvimento em investigação sobre funcionários fantasmas na Secretaria de Esportes.

Veja as últimas pesquisas eleitorais para presidente:

Em 2020, a TV Globo mostrou que a família de Pampolha era dona de 42 postos de gasolina – sendo nove autuados pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea) por irregularidades, como falta de licença no uso da água, ausência de documentação e desrespeito a normas de lançamento de água e óleo. Dois dos notificados pertenciam ao secretário.

À época, Pampolha disse que “jamais deixaria de fiscalizar qualquer estabelecimento” e que estava “enfrentando entraves burocráticos” para normalizar os postos.