Perto de reprise, Cleber Machado relembra cobertura na Copa de 2002: 'Foi muito especial'


Em meio a abstinência de futebol por conta das paralisações dos campeonatos em virtude da pandemia do novo coronavírus, os fãs do esporte poderão matar a saudade na tarde do domingo de Páscoa. A TV Globo exibirá a reprise da final da Copa do Mundo de 2002, às 16h (de Brasília), com a narração original de Galvão Bueno.

Além da íntegra da vitória por 2 a 0 sobre a Alemanha na transmissão original, haverá um pré-jogo inédito de 15 minutos, comandado por Cleber Machado e Casagrande, com a participação de Galvão Bueno e personagens que marcaram a conquista. Após o apito final, a Globo mostra momentos de festa da conquista do penta e da histórica chegada dos jogadores ao Brasil.

- Estamos preparando um material especial para ser mostrado antes, no intervalo e depois do jogo para o torcedor matar a saudade do futebol. E teremos a narração original do Galvão Bueno, repleta de emoção. Serão as lembranças de uma Copa do Mundo diferente, a primeira vez que dois países promoveram juntos este grande evento. Vou lembrar que acompanhei todos os jogos da Alemanha, como foi se dando a evolução da equipe no Mundial e um pouco daquele momento no futebol. Não tem como não citar como a seleção chegou para esta Copa, como foi ganhando confiança, a consolidação da família Scolari, os grandes jogadores que o Brasil tinha. Vale a pena acompanhar essa final novamente - disse Cleber Machado.




Pela primeira vez, as duas seleções que mais vezes tinham chegado a finais de Copas do Mundo se encontravam em uma decisão. A partida em Yokohama, no Japão, aconteceu em 30 de junho de 2002. Com uma campanha perfeita, a Seleção Brasileira entrou em campo com seis vitórias em seis jogos,16 gols marcados e apenas quatro sofridos.

- Eu estava na Coreia do Sul, em Seul. Na primeira fase da Copa eu fiquei no Japão e depois fui para lá. No sábado, véspera da final, fiz a decisão do terceiro lugar, com a vitória da Turquia sobre os sul-coreanos. No dia da decisão, a equipe que estava lá se reuniu no centro de imprensa internacional para ver o jogo. Terminada a partida demos uma espécie de volta olímpica para todo mundo saber que éramos brasileiros e campeões do mundo. Depois, à noite, fomos comemorar em um restaurante ali perto. O movimento dos brasileiros em Seul não foi muito grande, afinal, a maioria estava no Japão. Mas teve a nossa comemoração, que foi muito especial - relembrou o narrador.

O trio formado por Ronaldo, Rivaldo e Ronaldinho Gaúcho era a grande sensação daquela Copa - o Fenômeno se recuperou de uma grave lesão no joelho direito às vésperas do torneio. Do outro lado, os alemães voltavam a uma decisão de Copa após 12 anos e, mesmo com uma campanha menos vistosa, tinham a força da camisa até então tricampeã do mundo. Cleber Machado acompanhou a seleção alemã em todo o caminho até a final e relembrou momentos marcantes do Mundial.

- Copa do Mundo tem muito jogo legal de acompanhar. Uma sequência que eu fiz e me agradou muito foi a da Alemanha. Fiz todas as seis partidas antes da final. Tive o privilégio de ver uma Alemanha que não transmitia muita confiança, que por vezes era criticada, mas uma equipe muito eficiente, bem tradicional ao estilo alemão. O time chegou à Copa com uma forma muito consistente. Além destes jogos, as partidas em que a Coreia do Sul eliminou Itália e Espanha me marcaram muito. Foi uma Copa bem bacana e de ótimas recordações - finalizou.