Cliente que recusou máscara e provocou morte de mulher é denunciado por homicídio

Louise Queiroga

O empresário que se recusou a utilizar máscara de proteção em um supermercado de Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba, foi denunciado pelo Ministério Público do Paraná (MPPR), nesta quinta-feira, pelos crimes de homicídio, lesão corporal e infração de medida sanitária. A atitude do denunciado levou a uma briga que culminou em tiros e na morte de uma mulher.

No dia 28 de abril, mesmo tendo sido alertado pelo fiscal do estabelecimento sobre a obrigatoriedade do uso do item de prevenção ao coronavírus, o cliente, sem apresentar qualquer justificativa, negou o uso da máscara. O MPPR afirma que ele forçou a entrada no local e agrediu um segurança que, durante luta corporal com o empresário, efetuou dois disparos: um atingiu de raspão o agora denunciado e outro a funcionária Sandra Maria Aparecida Ribeiro, de 45 anos, que não resistiu e morreu.

A fiscal do supermercado "tentava apaziguar a situação e prestar os esclarecimentos sobre os decretos", informou a Guarda Municipal, que atendeu a ocorrência.

Imagens de uma câmera de seguança do supermercado obtidas pelo EXTRA mostram o momento da briga; confira:

O empresário foi preso pela Polícia Civil do Paraná no dia seguinte ao episódio. Ele foi autuado em flagrante por duas lesões corporais e por desobedecer o decreto municipal de uso de máscara.

À época, o segurança agredido também havia sido autuado, mas por homicídio culposo, quando não há intenção de matar. No entanto, de acordo com o inquérito policial e o entendimento do MPPR, representado pela 3ª Promotoria de Justiça de Araucária, o vigilante autor dos disparos agiu em legítima defesa, já que o empresário, além de agredi-lo com socos, tentou sacar-lhe a arma.

O segurança inclusive havia tentado lhe oferecer uma máscara da empresa, sem custo, para que o consumidor pudesse fazer as suas compras. Enquanto os dois andavam em direção à entrada da loja, o cliente começou a proferir uma série de agressões verbais contra o vigilante e tentou pegar a arma dele.

Por meio de nota, o supermercado Condor lamentou "profundamente o ocorrido em sua loja de Araucária e informa que está prestando todo o apoio e ajuda à família (da vítima)".

"A empresa também está contribuindo com as investigações e prestando todos os esclarecimentos necessários para que as autoridades esclareçam os fatos", acrescentou.