Clube gaúcho é denunciado por racismo após torcedor chamar jogador adversário de 'negro de merda'

RIO - A Procuradoria do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJD-RS) denunciou o Guarani, de Venâncio Aires, que disputa a segunda divisão do Campeonato Gaúcho, por um episódio de racismo em partida contra o São Paulo, de Rio Grande. O clube foi responsabilizado pelo ato de um torcedor que chamou um atleta do adversário de "negro de merda" durante jogo disputado no último dia 20.

O alvo da ofensa foi o lateral-direito Júlio César. O insulto ocorreu aos 42 minutos do segundo tempo, proferido por um torcedor do rival que estava na arquibancada. Segundo o São Paulo, o agressor foi identificado, e a vítima registrou um boletim de ocorrência na Brigada Militar. O clube também entregou imagens do ocorrido aos policiais.

"É uma tristeza sem tamanho que este tipo de comportamento ainda exista nos estádios e em nossa sociedade, mas só será possível combater com ações firmes e contundentes", disse o clube por meio de nota na ocasião.

O julgamento está marcado para 4 de maio. De acordo com a denúncia, o Guarani vai responder por ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito de raça ou cor, conforme dispõe o artigo 243-G do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD).

O clube pode ser multado em até R$ 100 mil, e os torcedores identificados poderão ser proibidos de frequentar estádios pelo prazo mínimo de 720 dias. O Guarani também pode perder o mando de campo.

Na época do fato, o Guarani afirmou que o caso estava sendo apurado e afirmou que tomaria as medidas cabíveis contra o agressor.

"O clube reforça que fará todos os esforços para ajudar a esclarecer os fatos e os responsáveis por eles. Caso houver a comprovação da culpa de algum torcedor, serão tomadas as medidas cabíveis para com o identificado como agressor e causador da violência contra o atleta adversário", dizia a nota.

Os casos de racismo vêm aumentando em partidas de clubes brasileiros. Somente nesta semana, houve quatro episódios envolvendo Corinthians, Bragantino, Palmeiras e Flamengo pela Libertadores. No mais recente, um torcedor do Universidad Católica foi flagrado imitando um macado em direção à torcida rubro-negra, que também foi atingida por pedras, sinalizadores e garrafas. Uma criança e um idoso ficaram feridos.

Após as situações, a Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) divulgou um comunicado nesta sexta-feira no qual reconheceu que atualmente é possível identificar os autores das ofensas e prometeu que "conduzirá mudanças" para intensificar as punições.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos