Clubes contratam escritório para representá-los contra o Flamengo

·3 minuto de leitura

Os clubes da Séria A, exceto o Atlético-MG, decidiram que um escritório de advocacia irá os representar no STJD, na ação que pretende derrubar uma liminar concedida pelo presidente do tribunal, Otávio Noronha, ao Flamengo. A decisão permite que o Rubro-Negro tenha público nas partidas em que é mandante, desde que os governos locais permitam torcida nas partidas. O escritório escolhido pelos clubes foi o CSMV, de São Paulo.

O escritório ficará responsável por elaborar a tese jurídica para dar entrada nos próximos dias no mandado de garantia para assegurar que o público volte aos estádios na mesma ocasião para todos os times. Eles alegam que seria injusto apenas um time ter direito a torcida, enquanto os demais não, e defenderam o princípio da isonomia. Até então, os clubes iriam dar entrada na ação em conjunto, mas preferiram delegar a tarefa para um escritório para que não haja ruídos entre eles próprios.

Até está quarta-feira, o Flamengo era o único time da Série A que poderia receber público porque a prefeitura do Rio de Janeiro autorizou a presença de torcedores no Maracanã. O governo de Eduardo Paes quer usar as partidas como eventos testes para a liberação parcial de pessoas em eventos de grande porte. O Fluminense ainda se nega a jogar com torcida.

BH libera público

O Atlético-MG é o único time que não irá reforçar o pedido junto ao STJD. O motivo é que o clube tem em mãos uma liminar igual a do Flamengo. Aos demais clubes, os dirigentes mineiros afirmaram que são solidários, que não pretendem utilizar essa liminar, mas que seria uma incoerência jurídica eles assinarem o recurso.

Entretanto, nesta quinta-feira, o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, autorizou o retorno do público aos estádios. O anúncio foi feito após reunião com integrantes do próprio Atlético-MG, Cruzeiro e América-MG. Após a reunião com a prefeitura, o presidente do Atlético-MG, Sérgio Coelho, não descartou a hipótese do clube jogar com torcida, segundo contou ao site “ge”:

— O Flamengo conseguiu a liminar para ter jogos, junto ao STJD. Imediatamente, nós também conseguimos. Não faremos uso da liminar se o Flamengo não fizer o uso também. Se o Flamengo jogar, deixei claro na reunião, o Atlético vai usar o mesmo direito.

O presidente do América-MG, Alencar Silveira, afirmou que seu clube não pretende solicitar nenhuma liminar para jogar com público. E que vai fazer o que foi decidido na reunião dos clubes.

— Nós vamos seguir o que foi tratado. O América não vai entrar com liminar e vai esperar a determinação da arbitral de todos os clubes, e vamos seguir à risca — disse Alencar.

Entenda o caso

Nesta quarta-feira, os clubes participaram de uma reunião com a CBF para debater sobre a volta do público aos estádios. Os dirigentes do Flamengo, horas antes do encontro, divulgaram uma nota afirmando que não iriam comparecer ao encontro e que não cabia aos clubes e a CBF decidir sobre o tema, e sim as autoridades governamentais. Eles lembraram também da liminar que possuem em que o presidente do STJD afirmou que não cabe à CBF delegar sobre o assunto.

Os cubes decidiram que não haverá público nos jogos da série A até a 23ª rodada, que começa no início de outubro. Eles marcaram um nova reunião para o dia 28 de setembro para reavaliarem a posição. Além de decidirem entrar com a ação no STJD, eles alegaram que vão tentar, junto à CBF, que as rodadas em que o Flamengo insistir em jogar com torcida sejam canceladas. No entanto, a Confederação afirmou, em nota, que “irá analisar juridicamente a questão, uma vez que interfere na esfera de direito de terceiros adquirentes de propriedades comerciais da competição”.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos