Clubes do Rio e São Paulo abrem as portas para testes na base a garoto que relatou injúria racial

·1 minuto de leitura
Foto: Rerprodução

Ao menos Santos, Fluminense e o Vasco abriram as portas das suas categorias de base a Luiz Eduardo, de 11 anos, que relatou ter sofrido injúria racial durante um torneio infantil de escolinhas em Caldas Novas (GO). Representantes dos três clubes procuraram a família do garoto entre quinta e sexta-feira.

O episódio ocorrido com Luiz Eduardo repercutiu nas redes sociais e gerou grande comoção entre os internautas, que marcaram jogadores famosos e clubes para os quais torcem pedindo um teste para o garoto.

No vídeo, Luiz Eduardo, do Uberlândia Academy, disse, aos prantos, o que ocorreu após partida da categoria sub-11 da Caldas Cup (torneio infantil de escolinhas, em Caldas Novas, interior de Goiás). As ofensas teriam partido de Lázaro Caiana de Oliveira, técnico do Instituto S.E.T:

– O cara falava assim "Fecha o preto aí, ó! Aí eu aguardei para falar no final com os pais. Falou um 'tantão' de vezes" – disse o garoto.

Com autorização da família, o relato foi publicado pelo Uberlândia Academy, juntamente com uma nota de repúdio. No comunicado, foi informado que a Polícia Militar havia sido acionada e que o clube registrou Boletim de Ocorrência.

Tanto Fluminense como o Santos e o Vasco entraram em contato com os pais do garoto oferecendo uma oportunidade para o início do ano que vem.

Luiz Eduardo é fã de Neymar, revelado no Santos, o primeiro clube que ofereceu apoio aos menino. O craque, inclusive, gravou um vídeo em solidariedade ao menino nesta sexta-feira.