Clubes tradicionais investem em atrações diversificadas inclusive para não sócios

Rodrigo Berthone
1 / 3

83150175_RI Rio de Janeiro RJ 12-06-2019 Clubes do Rio em crise Clube Costa Brava no costão da J.jpg

Clube Costa Brava, no costão da Joatinga, terá festa de réveillon

RIO — Na disputa pela atenção do público, seja ele pertencente ao grupo dos associados ou de visitantes, tradicionais clubes da região vêm investindo na diversificação de suas atividades e em eventos. De colônias de férias a rodas de samba e festas de réveillon, eles apostam alto na temporada de férias de verão.

Localizado em duas ilhas artificiais na Lagoa da Tijuca, o Marina Barra Clube, um dos mais antigos, pretende iniciar em grande estilo sua programação para a estação. Preparou para o dia 27, a partir das 22h, uma nova edição da roda Samba Dá Sopa, comandada pelo ex-jogador Junior. O evento, beneficente, visa a arrecadar fundos para a compra de cestas básicas. Aberta a não sócios, a festa terá ingressos a R$ 30, que podem ser adquiridos na hora. Também dentro da programação de fim de ano, hoje é o último dia do bazar natalino do clube, com itens de vestuário feminino, moda praia, acessórios, papelaria, produtos para pets, doces, bolsas e semijoias. Gratuito, o evento vai das 10h às 22h.

Para janeiro, o Marina confirmou mais uma edição de sua tradicional colônia de férias, entre os dias 6 e 31. Com foco em atividades ao ar livre, a colônia recebe crianças a partir dos 3 anos e inclui oficinas e atividades monitoradas. Um dos destaques é o Espaço Aventura, área voltada para atividades de arvorismo, como escalada, tirolesa e rapel.

Segundo Isabela Veiga, diretora social do Marina Barra Clube, as atividades são todas idealizadas pelo próprio clube.

— Não terceirizamos a colônia. Trazemos mão de obra especializada, mas a gestão é nossa, ao contrário de outros lugares que apenas cedem o espaço e aferem receita — garante Isabela, destacando que haverá um monitor para cada três crianças.

O clube mantém atrativos fixos durante todo o ano. Tem o maior parque de tênis do Rio, com 14 quadras, além de quatro piscinas (todas aquecidas) e quadras de basquete, futebol, futsal e vôlei. Oferece ainda aulas de krav magá, judô e jiu-jítsu.

— Somos um clube social com viés de esporte como lazer muito forte. A maioria dos nossos sócios gosta — diz Isabela, chamando a atenção para a renovação da academia de ginástica. — Trocamos equipamentos, trabalhamos com consultores da área e agregamos ao treino da musculação a parte de funcional.

Um diferencial é uma estrutura nos moldes de um circo, onde ocorrem aulas de malabares e de tecido para crianças. De olho no verão, o Marina busca atrair novos sócios com uma promoção: oferece títulos por R$ 990.

No Clube Marapendi, conhecido pelas aulas de equitação, a colônia de férias será entre 6 e 31 de janeiro, custando a partir de R$ 420 para o período de uma semana. Entre as opções para a garotada de 3 a 12 anos estão atividades esportivas, oficinas de criação, gincanas, artes cênicas e passeios a cavalo e de charrete.

Localizado em uma área de 200 mil metros quadrados, o clube, inaugurado em 1964, tem grandes bosques, quadras poliesportivas, academia de ginástica, piscina semiolímpica e salão de festas. Suas quadras de tênis são famosas: já foram palco de partidas da Copa Davis no passado e do Pan-Americano de 2007.

Outro estabelecimento tradicional da região, o Ginástico Português foi arrendado há 11 anos pela empresa RL Eventos e desde então deixou de funcionar como um clube tradicional. Oferece, porém, atividades como muay thai, capoeira, caratê, tênis, futebol soçaite, paintball e arco e flecha.

— As pessoas vêm e fazem a matrícula na atividade que querem praticar — explica Fabiolla Camacho, representante da RL Eventos.

Esportes e festas entre os destaques

Com um milhão de metros quadrados de área verde preservada, o Itanhangá Golf Club mantém há mais de oito décadas o status de resort urbano com vocação para atividades esportivas. Neste fim de ano, fará, pela primeira vez em pelo menos uma década, uma festa de réveillon para sócios e convidados, com DJs e bufê.

— Para os sócios, o Itanhangá é como se fosse uma segunda casa, e há muito tempo eles pediam uma festa de réveillon para reunir amigos e familiares. Faremos uma festa em torno da piscina, animada, mas com essa pegada — garante Felipe Barbosa, diretor de comunicação e marketing do clube.

Outra novidade é a possibilidade de se aderir ao clube sem necessidade de comprar o título de sócio-proprietário: foi criada outra categoria, a de sócio-contribuinte.

— O contribuinte precisa ser indicado por dois sócios e aprovado pelo conselho. Após esse processo, pode-se ficar nesta categoria por até dois anos sem ter que comprar o título — explica Barbosa, rechaçando a ideia de que o clube é de difícil acesso. — Parece ser uma coisa fechada, mas nem é tanto. O clube é muito receptivo e bastante amigável.

Ainda segundo Barbosa, boa parte dos sócios enxerga o clube como uma espécie de casa de campo compartilhada. Entre os atrativos destacam-se um campo de golfe com 27 buracos, três quadras de tênis de saibro, complexo aquático, saunas, restaurante, bares e academia de ginástica. Além disso, há quadra para prática de polo (única da cidade fora de área militar), 150 baias para cavalos e escolinha de equitação aberta a não sócios.

Metade dos sócios é de moradores da Barra. O título de sócio-proprietário é estendido à família e dá direito a dependentes como filhos não casados de até 35 anos, mulher e pai ou mãe viúvos ou divorciados.

Considerado uma das joias arquitetônicas da cidade, o Clube Costa Brava, no Joá, famoso pela piscina de água salgada com vista para o oceano, está de braços abertos a não sócios. E vai iniciar sua programação de verão com a primeira edição da festa Réveillon UNIQ, no dia 31.

Com início às 21h, o evento vai varar a madrugada, com atrações como Toni Garrido, DJs de diferentes estilos, incluindo funk e música eletrônica, e show da banda residente Licor do Canavial. A festa terá open bar, ceia vip e ingressos a partir de R$ 390, no site reveillonuniq.com.br.

Tombado pela prefeitura em 2014, o clube, situado na chamada Ponta do Marisco, tem, além de piscinas, quadras poliesportivas, spa, campo de futebol, salão para 400 pessoas e pesqueiro. Prepara também a reinaguração de sua boate.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)