CNE pede a TC que indefira recursos da oposição angolana

A Comissão Nacional Eleitoral (CNE) de Angola pediu ao Tribunal Constitucional para dar um parecer negativo aos recursos interpostos pela UNITA, Bloco Democrático e pela coligação CASA-CE, que contestam os resultados oficiais das eleições que conferiram a vitória ao MPLA do presidente João Lourenço.

Lucas Quilundo, porta-voz da CNE: "O plenário da Comissão Nacional Eleitoral solicita que o Tribunal não lhes dê provimento por falta de provas e, portanto, sustentação legal, bem como pela sua impossibilidade material de realização dos pedidos ali formulados."

A comissão apelou assim à instância para validar os resultados definitivos das eleições, que conferem à formação do chefe de Estado 51,17 por cento dos votos apurados.

O líder da principal formação da oposição reagiu afirmando que discrepâncias em mais de 500 mil votos alteram a favor da UNITA os resultados oficiais, colocando a sua formação à frente com 49,5 por cento dos votos, contra 48,2 por cento para o MPLA.

Adalberto Costa Júnior, líder da UNITA: "Os dados apurados pelo centro de contagem e apuramento da UNITA revelam diferenças enormes e inaceitáveis daqueles publicados pela CNE."

Poucas horas depois da intervenção da CNE, e contrariamente ao anunciado antes por Adalberto Costa Júnior, o Tribunal Constitucional negou provimento à providência cautelar da UNITA, que pedia que fosse rejeitada a ata dos resultados eleitorais.