CNT: Lula lidera intenções de voto com 41% contra 27% de Bolsonaro

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
SAO BERNARDO DO CAMPO, BRAZIL - MARCH 10: Luiz Inacio Lula da Silva, Brazil's former president, speaks during a press conference after convictions against him were annulled at the Sindicato dos Metalurgicos do ABC on March 10, 2021 in Sao Bernardo do Campo, Brazil. Minister Edson Fachin, of the Federal Supreme Court, annulled on Monday the criminal convictions against former leftist President Luiz Inacio Lula da Silva on the grounds that the city of Curitiba court did not have the authority to try him for corruption charges and he must be retried in federal courts in the capital, Brasilia. The decision means Lula regains his political rights and would be eligible to run for office in 2022. (Photo by Alexandre Schneider/Getty Images)
Ex-presidente Lula tem vantagem na pesquisa espontânea, na estimulado e venceria Bolsonaro no segundo turno (Foto: Alexandre Schneider/Getty Images)
  • Presidente Lula está à frente na pesquisa de intenção de voto CNT com 41,3%

  • No segundo turno, Lula e Ciro Gomes venceriam o atual presidente Jair Bolsonaro

  • Bolsonaro venceria João Doria em um eventual segundo turno

O ex-presidente Lula (PT) lidera a pesquisa de intenção de voto para a eleição presidencial de 2022. É o que mostra a Pesquisa CNT de Opinião, divulgada nestas segunda-feira (5).

O petista mostra vantagem sob o atual presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tanto no voto estimulado, em que são apresentados os candidatos, quanto no espontâneo. Os dois políticos são os únicos com mais de dois dígitos na intenção de votos, Ciro Gomes, com 5,9% aparece em terceiro, empatado com Sergio Moro. 

Voto estimulado: 

  • Lula (PT): 41,3%

  • Bolsonaro (sem partido): 26,6%

  • Ciro Gomes (PDT): 5,9%

  • Sergio Moro (sem partido): 5,9%

  • João Doria (PSDB): 2,1% 

  • Luiz Henrique Mandetta (DEM): 1,8% 

  • Branco/nulo: 8,6%

  • Indecisos: 7,8%

No voto espontâneo, Lula aparece com 27,8% contra 21,6% de Jair Bolsonaro. Ciro Gomes é o único além deles a pontual acima de um dígito, com 1,7%, enquanto 38,9% se disseram indecisos. 

A pesquisa CNT de Opinião foi feita em parceria com o Instituto MDA entre os dias 1º e 3 de julho de 2021. Foram realizadas 2.002 entrevistas presenciais, em 137 municípios de 25 Unidades da Federação. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais com 95% de nível de confiança.

Leia também:

Segundo turno 

De acordo com o levantamento CNT, se a eleição fosse hoje, Bolsonaro perderia em um eventual segundo turno tanto para Lula quanto para Ciro Gomes, mas venceria se a disputa fosse contra João Doria. 

  • Lula 52,6% x 33,3% Bolsonaro; branco/nulo: 11,5%

  • Ciro Gomes 43,2% x 33,7% Bolsonaro; branco/nulo: 18,8% 

  • Bolsonaro 36,3% x 33,5% João Doria; branco/nulo: 25,7%

Lula ainda venceria João Doria por 51,9% contra 18,1% do tucano; 25,6% disseram que votaria branco ou nulo nesse cenário. 

Entre os entrevistados, 41,1% acham que o eleitor terá boas opções em 2022, mas apenas 7,3% consideram que as alternativas são ótimas. Outros 26,4% acham que o eleitor só terá opções ruins e 17,9% acreditam que as alternativas são péssimas.

Prioridade do eleitor 

Segundo a pesquisa, 40,3% preferem que Lula volte a ser presidente, enquanto 25,1% querem que Bolsonaro seja reeleito. A chamada "terceira vida" seria o ideal para 30,1%, com um candidato sem ligações com o petista ou com o atual presidente. 

O levantamento mostra que 45,1% consideram que o mais importante no pleito do próximo ano é que Bolsonaro não vença a eleição, enquanto 27,7% priorizam que Lula não vence; 21,2% não querem nenhuma das duas opções.

Limite de votos 

Caso Jair Bolsonaro seja candidato, 22,8% disseram que votariam nele com certeza, enquanto 11,6% entendem que o atual presidente é uma possibilidade. Ao mesmo tempo, 61,8% não votariam em Bolsonaro de nenhuma maneira. Apenas 0,4% não conhecem o presidente. 

No caso de Lula, 35,4% dos eleitores votariam nele com certeza, enquanto 17,1% pensam em escolher o petista na corrida eleitoral de 2022. Por outro lado, 44,5% não votariam Lula de jeito nenhum; 0,1% não conhecem o ex-presidente. 

Depois de Bolsonaro, a maior rejeição é de João Doria: 57,9% dizem que não votariam no tucano de jeito nenhum, enquanto 1,5% votariam com certeza e 16,5% poderiam elege-lo como presidente. 

Em relação à Ciro Gomes, 52,4% não o elegeriam de nenhuma maneira; 4,3% com certeza votariam no pedetista e 24,7% poderiam votar ele; 10,9% não conhecem o pré-candidato. 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos