Maranhão terá 300 mil doses a mais de vacina, diz ministro da saúde

·4 minuto de leitura
Maranhão terá 300 mil doses a mais de vacina, diz ministro da saúde
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 07/05/2021, BRASIL - Segundo dia de vacinacao de pessoas com idade entre 60 e 62 anos, ate aqui o maior publico na capital, com cerca de 600 mil pessoas. Idosos tomam a vacina na UBS Mooca 1, na Mooca zona leste. (Rivaldo Gomes/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 07/05/2021, BRASIL - Segundo dia de vacinacao de pessoas com idade entre 60 e 62 anos, ate aqui o maior publico na capital, com cerca de 600 mil pessoas. Idosos tomam a vacina na UBS Mooca 1, na Mooca zona leste. (Rivaldo Gomes/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 07/05/2021, BRASIL - Segundo dia de vacinacao de pessoas com idade entre 60 e 62 anos, ate aqui o maior publico na capital, com cerca de 600 mil pessoas. Idosos tomam a vacina na UBS Mooca 1, na Mooca zona leste. (Rivaldo Gomes/Folhapress)
  • De acordo com o secretário de saúde, Joel Nunes, São Luís é a segunda capital que mais vacina no Brasil

  • Queiroga falou que, até o final do ano, toda a população com mais de 18 anos será vacinada

  • No mês de junho, conforme o ministro, serão entre 40 milhões e 50 milhões de doses

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse neste domingo (23) que irá ampliar a cobertura de vacinas em São Luís, no Maranhão. O ministro entregou ao estado 600 mil testes rápidos para Covid-19. A medida visa a busca ativa de novos infectados pela variante indiana

Queiroga foi recebido no aeroporto pelo prefeito de São Luís, Eduardo Braide (Podemos), além dos secretários de saúde do município, Joel Nunes, e do estado, Carlos Lula. 

"Ele (o prefeito Eduardo Braide) fez um pleito muito justo que era ampliar a cobertura de vacinas aqui em São Luís, aqui nas cidades da ilha. E foi acatado pelo Programa Nacional de Imunização. (...) Nós teremos 5% a mais de vacina, isso é, aproximadamente, 300 mil doses neste primeiro momento", anunciou o ministro. 

De acordo com o secretário de saúde, Joel Nunes, São Luís é a segunda capital que mais vacina no Brasil. Com a chegada dessas doses extras a previsão é de alcançar a capacidade de 15 mil doses aplicadas por dia. 

"Essa é uma forma de, além de combatermos a pandemia, enfrentarmos novas variantes", disse o prefeito de São Luís. 

Além da ampliação na cobertura da vacinação, Queiroga lembrou que o governo federal, por meio do Ministério da Saúde, está entregando aos secretários de saúde 600 mil testes para diagnosticar novos casos da Covid-19 e identificar a variante indiana. 

"É o governo federal e as secretarias do estado e do município, juntas, contra o nosso único inimigo, prefeito, que é o novo coronavírus. Vamos trabalhar e continuar servindo o povo do Maranhão e do Brasil", afirmou o ministro. 

Questionado sobre quais serão as estratégias que serão adotadas para fazer o controle da variante indiana no país, o ministro disse que serão "várias" e citou a campanha de vacinação como uma delas. 

Queiroga promete novo lote de doses

Segundo Queiroga, neste mês de maio, serão mais de 30 milhões de doses de vacina, o que daria para vacinar mais de um milhão de brasileiros por dia. No mês de junho, conforme o ministro, serão entre 40 milhões e 50 milhões de doses. Ele informou ainda que será ampliado o programa de testagem podendo atingir 20 milhões de testes rápidos. 

"É um teste de antígeno que tem uma eficácia em diagnosticar o vírus ao FTPCE, que é o padrão ouro. Então, até 20 milhões de testes para fazer uma vigilância adequada", explicou. 

O ministro informou que as aplicações dos testes no Maranhão vão começar ainda neste domingo. Ele disse ainda ser necessário que a população se conscientize de que é fundamental no controle da pandemia. 

"As autoridades sanitárias trabalham juntas para que tenhamos esse sucesso", informou Queiroga ressaltando que as medidas adotadas no Maranhão serão as mesmas em todo país. 

O ministro também foi questionado se houve algum mal estar com o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), que chegou afirmar em rede social que o governo federal não dialogou com o estado sobre o envio dos 600 mil testes para detecção do novo coronavírus. 

"Não tem mal estar nenhum. O governo federal trabalha em parceria com estados e municípios porque o nosso interesse é bem servir o povo brasileiro, tanto que estou aqui hoje. (...) vamos trabalhar juntos". 

O ministro disse ser uma grande responsabilidade conduzir a saúde do Brasil durante uma pandemia. 

"Isso não é tarefa para um homem. É tarefa para uma nação. É por isso, que precisamos primeiro, da confiança", disse Queiroga, lembrando que os médicos e seus pacientes têm uma relação baseada na confiança e que o ministro da Saúde, os secretário de Saúde, dos estados e dos municípios, também. "É parar de fazer calor e gerar luz, precisamos de luz no nosso caminho. E hoje a esperança é a vacina". 

O ministro lembrou ainda que há carência de insumos para as vacinas contra a Covid-19 no mundo inteiro e que o país já distribuiu mais de 90 milhões de doses para população: "São Luís é um case de sucesso. Vem imunizando a população de forma muito rápida". 

O ministro disse que vai percorrer postos de vacinação e o porto em São Luís neste domingo. Ele informou ainda que o país já adquiriu mais de 500 milhões de doses da vacina e que, até o fim do ano, toda população brasileira acima de 18 anos será vacinada. 

Ainda neste domingo, Queiroga participa de uma reunião com o governador Flávio Dino. Na sexta-feira (21), o governo do Maranhão multou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) por provocar aglomerações e não usar máscara de proteção em meio à pandemia durante um evento realizado em Açailândia, município localizado a 526 km de São Luís.