Coca-Cola Zero é realmente melhor para a saúde do que Coca normal?

Luiza Belloni

Apesar de pesquisas relacionarem o consumo de refrigerantes ao aumento do risco de morte precoce, muitas pessoas ainda continuam bebendo uma ou mais latinhas da bebida gaseificada por dia. Um dos preferidos é a Coca-Cola

Na busca por tornar este hábito mais saudável, consumidores escolhem a versão “Zero”, que tem poucas calorias e zero adição de açúcar. Mas será mesmo que é uma opção melhor? 

Primeiro, é preciso entender do que este refrigerante ”é zero”. Ela pode ser zero de açúcar, mas também é zero em valor nutricional ― o que significa que seu corpo não vai ter nenhum benefício consumindo essa bebida. Além disso, para manter o sabor, é preciso acrescentar diversos adoçantes artificiais, o que pode ter efeitos adversos à saúde. 

“Quanto sua eficácia na perda de peso, estudos recentes divergem: alguns mostram que ajudam a perder peso, enquanto outros afirmam que o consumo da bebida pode ser nocivo”, informou o site MedicalDaily. “O mesmo pode ser dito para o risco de diabetes, e mais pesquisas são necessárias para confirmar os reais riscos.”

O que está comprovado até agora, enfatiza o site americano, é que os adoçantes artificiais e os demais ingredientes do refrigerante podem gerar outros problemas de saúde, mesmo ele sendo “Zero”. 

Um destes efeitos adversos é a erosão dos dentes. Estudos mostram que refrigerantes, mesmos os zeros, são muito ácidos. Com o tempo, eles geram desgaste no esmalte do dente e isso pode agravar a sensibilidade.

Outro risco que pode ser ampliado com o consumo de refrigerantes é a de doenças renais. Problemas no rins estão relacionados ao refrigerante graças ao seu alto teor de fósforo.

Um outro estudo observacional também relaciona o consumo de adoçantes ao risco de doenças cardiovasculares e até morte precoce, principalmente em mulheres. 

Por fim, outros estudos revelaram que o uso de adoçantes artificiais pode afetar a flora intestinal, acabar com as bactérias...

Continue a ler no HuffPost