Coelho ficou só 67 dias como presidente da estatal, mas não foi o mais breve: 'recordista' ficou só 16 dias

José Mauro Coelho ficou apenas 67 dias à frente da Petrobras, o que levou alguns especialistas do setor de petróleo e gás a afirmarem que foi a gestão mais curta no comando da estatal. Porém, na história da companhia, outros dois presidentes se destacaram pela brevidade em que estiveram no cargo.

Exceto o interino José Coutinho Barbosa, que assumiu a presidência da empresa em 1999 e durou apenas 16 dias, o presidente com passagem mais rápida pela estatal até a saída de José Mauro Ferreira Coelho foi Osvino Ferreira Alves, que ficou à frente da empresa por 66 dias. O marechal assumiu o cargo no dia 28 de janeiro de 1964 durante o governo João Goulart e saiu no dia 3 de abril, pouco depois do golpe militar.

No governo Bolsonaro, a presidência da Petrobras tem sido marcada pela rotatividade de dirigentes. Caio Paes de Andrade será o quarto no comando da estatal em quase quatro anos de mandato.

Na gestão Bolsonaro, o primeiro presidente foi Roberto Castello Branco, que deixou o cargo em fevereiro de 2021. Em seu lugar, entrou o general da reserva Silva e Luna, seguido por José Mauro Coelho. Agora assume Caio Paes de Andrade.

O pano de fundo de todas essas trocas é a política de preços dos combustíveis da Petrobras, que pode tirar votos do presidente em sua tentativa de reeleição.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos