Cofundadora de seita sexual de Hollywood é condenada nos EUA

FILE — In this March 13, 2019 file photo, Nancy Salzman, center, arrives at Brooklyn federal court, in New York. Salzman, the former president and co-founder of NXIVM, was sentenced Wednesday, Sept. 8, 2021, to 42 months in prison and fined $150,000, but won't be locked up until January. (AP Photo/Mary Altaffer, File)
Nancy Salzman disse estar "horrorizada e envergonhada". (Foto: AP Photo/Mary Altaffer)
  • A Nxivm recrutava pessas da indústria do entretenimento que buscavam sucesso na carreira

  • Mulheres sofriam abusos sexuais e eram marcadas a ferro

  • A atriz Allison Mack está entre os presos por participação no grupo

A cofundadora da seita Nxivm, que promovia cultos sexuais, foi condenada nos Estados Unidos, nesta quarta-feira (8), a mais de três anos de prisão. Nancy Salzman, de 66 anos, já havia confessado ser culpada de crimes de extorsão, em 2019, além de admitir o roubo de endereços de e-mail e senhas de críticos do Nxivm.

Ela segue os passos do líder da seita, Keith Raniere, que em outubro de 2020 foi condenado a 120 anos de prisão por extorsão, tráfico sexual e pornografia infantil, entre outros delitos.

Raniere, que está preso desde 2019, foi também condenado recentemente a indenizar 21 vítimas do grupo em US$ 3,4 milhões (R$ 17,7 milhões).

O Nxivm (a pronúncia é nexium) foi criado em 1998, tem sede em Albany, no estado de Nova York, e se proclama uma "comunidade guiada por princípios humanitários que busca empoderar as pessoas".

Segundo os investigadores, essa descrição apenas disfarça a principal atividade do grupo, que é o tráfico sexual.

O Nxivm relata ter trabalhado com 16 mil pessoas em centros espalhados pelos Estados Unidos, Canadá e México. Entre os membros famosos, está a atriz Allison Mack, da série Smallville, que foi condenada a três anos de prisão em julho por seu envolvimento com a seita.

BROOKLYN, NY - MAY 04:  Actress Allison Mack (R) departs the United States Eastern District Court after a bail hearing in relation to the sex trafficking charges filed against her on May 4, 2018 in the Brooklyn borough of New York City. The actress known for her role on 'Smallville' is charged with sex trafficking. Along with alleged cult leader Keith Raniere, prosecutors say Mack recruited women to a upstate New york mentorship group NXIVM that turned them into sex slaves.  (Photo by Jemal Countess/Getty Images)
Atriz Allison Mack após sua condenação. (Foto: Jemal Countess/Getty Images)

O grupo promovia uma imagem externa de promoção de programas inofensivos de autoajuda. Em seu núcleo, no entanto, o líder Raniere impunha controle sobre os membros, que chegava ao abuso sexual, violência e até a marcação a ferro de suas iniciais nos corpos de mulheres.

Em sua declaração no tribunal federal no Brooklyn, Salzman disse que estava “horrorizada e envergonhada” por ter atuado ao lado de Raniere. Seus advogados alegam que ela reconhece "todo o peso de seus erros enquanto serviu como colaboradora e facilitadora de Keith Raniere" no culto.

Salzman, no entanto, deve ser presa apenas em janeiro de 2022, por precisar de alguns meses para se recuperar de um procedimento médico, o qual não foi especificado.

O líder da seita, Keith Raniere. Foto: Reprodução/The Vow
O líder da seita, Keith Raniere. Foto: Reprodução/The Vow

Na sentença, o juiz federal Nicholas Garaufis, disse que ela gerou "trauma e destruição" às vítimas do Nxivm. "Você nunca refutou [Raniere]. A porta estava sempre aberta, mas você nunca saiu", disse o juiz, de acordo com o jornal New York Daily News.

Em um documento anexado ao processo em agosto, a procuradora-assistente Tanya Hajjar afirmou que Salzman "menosprezou e humilhou as mulheres e culpou as vítimas de abuso".

A condenada admitiu admitiu ter adulterado vídeos que seriam usados em um processo contra o "desprogramador" de cultos Rick Alan Ross.

Leia também:

Durante o julgamento, foram ouvidos pelo tribunal depoimentos em áudio e vídeo de ex-membros da seita, que detalharam a participação de Salzman na organização.

Sua filha, Lauren, também participava do alto escalão do Nxivm. Ela podia ter sido condenada a até sete anos de prisão, mas em julho recebeu cinco anos de liberdade condicional por ajudar a derrubar Raniere.

Nas entranhas da Nxivm

As práticas da seita Nxivm foram relatadas na série “The Vow” lançada em 2020. A organização se encobria sob a fachada de “grupo de autoajuda” e conseguiu se infiltrar em Hollywood. Foi assim que a atriz Allison Mack se envolveu com a seita.

Em 2019, ela confessou que atuava no recrutamento de escravas sexuais para o “coach” do grupo. Ao se aproximarem, as mulheres tinham seu peso controlado, eram chantageadas com fotos eróticas e até marcadas a ferro.

Na série, o diretor Mark Vicente e a atriz Sarah Edmondson contam como a seita atraia membros com um discurso positivo e sedutor. Ambos tinham um perfil parecido: trabalhadores das artes que buscavam espaço na indústria de entretenimento dos EUA.

Eram exibidos para os novatos vídeos e palestras que incentivaram a abandonar suas "crenças limitadoras" e, depois, recrutar novos integrantes para subir na hierarquia, como um esquema de pirâmide.

Segundo eles, o líder, Keith Raniere, posava como intelectual e mentor de ricos e famosos, para transmitir segurança aos participantes que querem crescer na carreira.

Outra pessoa que foi atraída para a série foi a atriz australiana Bonnie Piesse, que interpretou Beru Lars nos filmes da saga "Star Wars" do início dos anos 2000. Ela também tinha ambições na indústria, mas com dificuldades.

Actress Bonnie Piesse arrives at the premiere of
A atriz Bonnie Piesse (Foto: REUTERS/Kevork Djansezian)

Da mesma forma, Allison Mack, que atuava em uma série popular, mas que não via crescimento na carreira e tinha pouco reconhecimento.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos