Cogitamos todas as opções na crise do coronavírus, diz ministro da França

·1 minuto de leitura
Ministro das Finanças da França, Bruno Le Maire, durante entrevista coletiva em Paris

PARIS (Reuters) - O ministro das Finanças francês, Bruno Le Maire, disse nesta segunda-feira que as condições de saúde estão piorando durante uma terceira onda da pandemia do coronavírus na França e que "todas as opções estão sendo cogitadas" para proteger o público.

Le Maire também disse à rádio France Info que o país deveria evitar adotar medidas de restrições mais rígidas contra a Covid-19 durante o maior tempo possível, e descartou mudar a lista de lojas e negócios que receberam permissão de permanecer abertos.

"Esta lista não mudará", afirmou Le Maire. "Hoje, enviar o sinal de que reabriríamos alguns negócios enquanto a situação se deteriora não é do interesse do país."

Conforme as restrições contra a Covid-19 em vigor em 19 zonas de alto risco, incluindo Paris, as lojas que podem abrir incluem aquelas que vendem alimentos, livros, flores e chocolate e cabeleireiros.

Lojas de roupas, móveis e salões de beleza não têm permissão para abrir, o que causa frustração entre os donos das chamadas lojas não-essenciais forçadas a permanecer fechadas.

Na semana passada, o presidente francês, Emmanuel Macron, defendeu sua decisão de não impor um terceiro lockdown total e manter as escolas abertas, mas disse que restrições adicionais provavelmente serão necessárias.

(Por Dominique Vidalon)

((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447759)) REUTERS ES