Coinbase faz acordo de US$100 mi em NY, incluindo multa e investimento em compliance

WASHINGTON (Reuters) - A corretora de criptomoedas Coinbase fechou com o Departamento de Serviços Financeiros (DFS) de Nova York um acordo de 100 milhões de dólares, disseram a bolsa e o regulador nesta quarta-feira.

O acordo, que inclui uma multa de 50 milhões de dólares, limita a investigação do regulador sobre a compliance da empresa com os requisitos para prevenir a lavagem de dinheiro.

O departamento descobriu que a Coinbase tratou seus requisitos para clientes como uma checagem pró-forma e não fez verificações de antecedentes suficientes, disse o regulador.

"A Coinbase falhou em construir e manter um programa de compliance funcional que pudesse acompanhar seu crescimento. Essa falha expôs a plataforma Coinbase a atividades criminosas em potencial", disse a superintendente do DFS de Nova York, Adrienne Harris.

A corretora resolveu os problemas, disse Paul Grewal, diretor jurídico da Coinbase, em comunicado.

Em uma postagem, a Coinbase disse que a investigação se concentrou no programa de compliance da empresa por volta de 2018 e 2019, bem como nas pendências de compliance em 2021.

"Levamos a sério as preocupações do NYDFS e tomamos medidas substanciais para resolver essas deficiências históricas", disse a corretora.

A Coinbase, listada na bolsa e uma das maiores corretoras globais de criptomoedas, pagará outros 50 milhões de dólares para aumentar os esforços de compliance para impedir que criminosos em potencial usem a bolsa. O acordo também exige que a Coinbase trabalhe com um monitor independente.

A Coinbase está sob escrutínio do DFS e de outros reguladores. Ela já havia divulgado o recebimento de intimações investigativas e solicitações da Securities and Exchange Commission, comissão de valores mobiliários dos EUA.

(Por Susan Heavey, Hannah Lang e Jonathan Stempel)