Colégio Santa Cruz, em SP, terá cota e bolsa para negros e indígenas

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O tradicional Colégio Santa Cruz, em Alto de Pinheiros (zona oeste), terá um programa de reserva de vagas e bolsas para alunos negros e indígenas a partir do ano que vem.

O programa terá início com estudantes da educação infantil. Atualmente, a seleção para a etapa é bastante concorrida, com parte das vagas decidida por sorteio e parte reservada a filhos de pais com vínculo com a escola (ex-alunos, por exemplo), majoritariamente branca, como todo o segmento da educação particular em São Paulo.

A forma de seleção dos estudante negros e indígenas ainda não foi divulgada, nem quantas vagas haverá para essa finalidade. Também não foi informado se serão vagas novas ou uma proporção das que já existem.

Em reunião recente no Conselho Estadual de Educação, o diretor-geral do Santa Cruz, Fábio Aidar, mencionou a instituição de cotas no colégio e a expectativa de atrair não só alunos negros e indígenas mas também pagantes.

"Como o colégio é muito concorrido, acredito que a gente possa atrair negros pagantes também, o que seria importante também para não associar sempre uma familia negra a uma família carente."

Em comunicado às famílias de alunos enviado nesta sexta-feira (28), Aidar e a diretora pedagógica, Débora Vaz, afirmam que uma associação fundada por mães, pais e ex-alunos bancará as bolsas para os alunos do programa cujas famílias não puderem arcar com as mensalidades.

"Acreditamos que a ampliação da diversidade racial e o combate ao racismo na escola dialogam com o projeto de sociedade com o qual o colégio quer contribuir, menos desigual e mais justa", diz o texto. "O programa será desafiador e o êxito dependerá de percorrermos o caminho em espírito de comunidade, com a parceria de todos os envolvidos."

O início pela educação infantil e o financiamento com recursos de pais e ex-alunos são também características do projeto de bolsas lançado no ano passado pela Escola Vera Cruz, também em Alto de Pinheiros, para aumentar a diversidade racial.

Na carta dirigida aos pais, o Santa Cruz cita ainda ações para aumentar a diversidade do quadro de educadores ainda neste ano e a revisão do currículo e do acervo.

A adoção de iniciativas para aumentar a diversidade racial em escolas particulares de São Paulo ganhou corpo com a pressão de parte dos pais nesse sentido no ano passado, em meio aos protestos detonados pela morte de George Floyd, nos Estados Unidos, por um policial branco.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos