Colômbia alcança 2 milhões de vacinados enquanto as infecções aumentam

·2 minuto de leitura
Um profissional de saúde recebe uma dose da vacina Pfizer-BioNTech contra a covid-19 na Clínica Versalles, em Cali, Colômbia, em 19 de fevereiro de 2021

A Colômbia atingiu nesta terça-feira (30) dois milhões de doses de vacinas contra a covid-19 aplicadas, em meio a uma nova explosão de mortes e infecções.

"É uma vitória importante para nosso país. Não chegamos nem a dois meses após o início do plano de vacinação e hoje já estamos em dois milhões de vacinados", comemorou o presidente Iván Duque, durante um evento público em um hospital da cidade portuária de Cartagena.

Assim, 228.486 pessoas estão totalmente imunizadas em uma população total de 50 milhões de habitantes.

A Colômbia vive um aumento nas infecções e nos óbitos pelo coronavírus, que o governo combate com toques de recolher noturnos e restrições de mobilidade deste 26 de março até 5 de abril, quando terminam os feriados da Semana Senta, data de grande atividade turística na Colômbia.

O país iniciou sua campanha de vacinação em massa no dia 17 de fevereiro e um mês depois chegou ao primeiro milhão de doses aplicadas.

Até o momento, profissionais de saúde e adultos com mais de 80 anos foram imunizados, e atualmente o processo avança com pessoas acima dos 60 anos.

O governo planeja chegar a três milhões de doses administradas até 17 de abril e espera vacinar 35 milhões de pessoas este ano. Já foi autorizado o uso das vacinas da Pfizer, Sinovac, AstraZeneca e Johnson & Johnson.

A Colômbia passou pela primeira onda da pandemia em julho de 2020 e, em janeiro, veio a segunda, após as festividades de fim de ano. O país sul-americano registra quase 2,4 milhões de casos e 63.079 mortes por covid-19.

As cifras o colocam em segundo lugar na América Latina em número de infecções, atrás do Brasil, e em terceiro em quantidade de mortes, superado pelo Brasil e pelo México.

jss/lv/mls/ic