Colômbia anuncia fim de grupo criminoso Los Caparros com morte do principal líder

·1 minuto de leitura
Ministro da Defesa da Colômbia, Diego Molano

BOGOTÁ (Reuters) - Los Caparros, um dos cinco grandes grupos criminosos da Colômbia, dedicado ao narcotráfico e à mineração ilegal, responsável por assassinatos, massacres e deslocamentos em massa na região noroeste do país, ficou desarticulado com a morte de seu líder máximo, informou nesta terça-feira o ministro da Defesa.

A morte de Robinson Gil Tapias, conhecido como "Flechas", após uma operação das Forças Militares e da Polícia Nacional, aconteceu na quinta-feira na zona rural do município de Cáceres, no departamento de Antioquia.

Depois da morte de Gil Tapias e da apreensão de um arsenal, os demais integrantes do grupo armado ilegal fugiram, embora seja esperado que alguns poucos se rendam, segundo as autoridades.

"Hoje podemos assegurar à Colômbia que Los Caparros chegaram ao fim. Não vamos nos distrair de nosso trabalho, faremos cair todos os símbolos do mal que afetam os colombianos", disse o ministro da Defesa, Diego Molano.

Com uma trajetória de 18 anos no crime, Tapias figurava em uma lista dos criminosos mais procurados do país e o governo oferecia uma recompensa de 145 mil dólares por informação que pudesse levar à sua localização.

O Los Caparros, que juntamente com o Clan del Golfo, Los Pelusos, a guerrilha do Exército de Libertação Nacional (ELN) e as dissidências das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia que recusaram um acordo de paz em 2016, era um dos cinco grandes grupos armados que foram alvos da ofensiva militar do governo do presidente colombiano Iván Duque.