Colômbia aumenta restrições para quase 15 milhões de pessoas devido à covid-19

·2 minuto de leitura
Mulher usa máscara facial para evitar a se proteger do coronavírus e uma folha na testa contra dores de cabeça, na praia de Ladrilleros, Parque Natural Nacional Uramba Bahia Málaga, Colômbia, no Oceano Pacífico, em 18 de dezembro de 2020

As principais cidades da Colômbia anunciaram nesta segunda-feira(21) restrições que afetam cerca de 15 milhões de pessoas, diante do aumento da velocidade de contágio do novo coronavírus com as proximidades das festas.

O país sul-americano de 50 milhões de habitantes é o terceiro com mais infecções por covid-19 na região (1,5 milhão) e o quarto com o maior número de óbitos (40.400).

A disseminação do vírus aumentou e no fim de semana houve números recordes que levaram os prefeitos de Bogotá, Medellín (noroeste), Cali (sudoeste) e Barranquilla (norte) a ampliar as restrições em vigor para conter a pandemia.

Bogotá, com quase oito milhões de habitantes e principal fonte de contágio, limitou o acesso das pessoas a todos os estabelecimentos e entidades de acordo com seu número de identificação, exceto quando se trata de serviços médicos ou funerários.

Além disso, apenas uma pessoa por família poderá fazer compras, mas não há detalhes sobre como será feito esse controle.

A prefeita Claudia López descreveu a situação como "preocupante" dada a ocupação de 73% das unidades de terapia intensiva da capital.

Medellín (noroeste), segunda maior cidade do país, adotou novas medidas para as festas de Natal e Ano Novo. De 24 a 26 de dezembro e de 31 de dezembro a 2 de janeiro haverá toque de recolher, anunciou o prefeito Daniel Quintero no Twitter.

Em Cali, o prefeito Jorge Iván Ospina garantiu que a cidade vive "um incêndio", devido à ocupação de 92% das unidades de terapia intensiva disponíveis.

A cidade caribenha de Barranquilla passará o Natal e o final do ano sob toque de recolher e proibições.

Após seis meses de pandemia, o governo relaxou as medidas de confinamento em setembro diante do desastre econômico e optou por uma estratégia baseada no autocuidado.

Os alarmes dispararam antes da repercussão do número de casos covid-19 e do anúncio de uma nova cepa no Reino Unido, o que levou à suspensão dos voos para o destino britânico.

lv/vel/lda/jc