Colômbia pede que EUA declarem a Venezuela um país 'promotor do terrorismo'

·1 minuto de leitura
Foto de arquivo tirada em 09 de agosto de 2019 e divulgada pela Presidência da Colômbia do presidente Ivan Duque (C), caminhando após descer de um helicóptero em uma plantação de coca em Catatumbo, sul da Colômbia

O presidente da Colômbia, Iván Duque, pediu nesta segunda-feira (26) aos Estados Unidos para declararem a Venezuela como um país "promotor do terrorismo" devido à suposta proteção que oferece aos rebeldes que dispararam contra o helicóptero presidencial em 25 de junho.

"Obviamente, esse consentimento do governo ditatorial da Venezuela merece uma declaração por parte dos Estados Unidos como um país promotor do terrorismo", disse Duque em um evento no qual participou o embaixador dos EUA na Colômbia, Philip Goldberg.

"Essa declaração tem como objetivo não só desvendar essa relação conivente e nociva, mas também que eles possam tomar um caminho ou continuar promovendo o terrorismo ou entregar o terrorismo às autoridades dos países que estão procurando por eles", acrescentou o presidente.

Duque acusou várias vezes o governo de Nicolás Maduro de dar refúgio no território venezuelano a rebeldes dissidentes das FARC e guerrilheiros do ELN.

Segundo a Colômbia, um comando desses grupos com apoio de um ex-militar disparou tiros de fuzil contra um helicóptero no qual Duque viajava pela área de fronteira. Ninguém ficou ferido.

Um ex-militar do exército colombiano e três de seus cúmplices foram detidos pelo ataque à aeronave.

Sem relações diplomáticas desde 2019, ambos os países compartilham uma fronteira de 2.200 quilômetros.

lv/vel/ll/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos