Colômbia proíbe ingresso de nacionais e estrangeiros para conter coronavírus

O Globo e El Tiempo

BOGOTÁ — O governo da Colômbia anunciou que proibirá o ingresso de viajantes que chegam do exterior à partir de segunda-feira, sejam eles colombianos ou estrangeiros. A medida de contenção da pandemia do novo coronavírus foi divulgada pelo presidente Iván Duque, que também suspendeu a entrada de voos internacionais. A medida terá entrará em vigor à 0h do dia 23 de março e terá inicialmente validade de 30 dias.

— Este é um chamado a solidariedade. Podemos tomar todas as medidas mais drásticas, mas a colaboração do cidadão é necessária — sinalizou o presidente na manhã desta quinta. — Vinha defendendo que os colombianos pudessem chegar ao país, mas também acredito que, diante das falhas nos controles de outros países, precisamos dar uma mensagem clara.

Compartilhe por WhatsApp: clique aqui e acesse o guia completo com tudo sobre coronavírus.

Até o momento, a Colômbia vinha permitindo o ingresso de cidadãos colombianos, residentes e integrantes de missões diplomáticas, mas determinava o autoisolamento por 14 dias. Segundo o presidente, a maior parte daqueles que chegavam do exterior respeitava as diretrizes, mas “mas quando vemos casos de pessoas que não as cumprem, não podemos pôr toda a institucionalidade atrás de quem tem este comportamento”.

Com a medida anunciada nesta quinta, o foco do Ministério da Saúde e dos órgãos de imigração se voltará para fiscalizar quem já ingressou no país. A partir de segunda, Duque também afirmou, cidadãos estrangeiros estarão proibidos de embarcar em voos domésticos na Colômbia. Aviões cargueiros, segundo o governo, poderão continuar em atividade e suas tripulações serão tratadas de acordo com os protocolos de biossegurança.

Segundo a ministra dos Transportes, Ángela María Orozco, o prazo de segunda-feira foi pensado visando dar tempo para que os colombianos em trânsito consigam voltar para casa. Ela disse ainda que haverá exceções humanitárias, mas que isso será negociado caso a caso. Conversas sobre repatriação também serão conduzidas conforme surgir necessidade.

Já o diretor do Departamento de Migrações, Juan Francisco Espinosa Palacios, disse que até agora mais de 40 estrangeiros já foram expulsos da Colômbia por descumprir as medidas de isolamento preventivo.

Até o momento, há 108 casos da Covid-19 na Colômbia – em sua maior parte, pessoas que retornaram da Europa e dos Estados Unidos. Não há mortes confirmadas. Desde o início da semana, as fronteiras terrestres, fluviais e marítimas do país estão fechadas e aulas em colégios e universidades foram suspensas. Há restrições para eventos com mais de 50 pessoas, tal qual para o funcionamento de bares e discotecas. O Congresso do país também adiou o início de sua sessão legislativa.

Na terça-feira, Duque decretou estado de emergência – ferramenta constitucional disponível rente a situações que alteram de forma grave e iminente a ordem econômica, social e ecológica do país, constituindo um estado de calamidade pública. Sua primeira medida foi decretar a quarentena obrigatória para pessoas com mais de 70 anos, grupo de risco da pandemia, que só poderão sair de casa para comprar comida, remédios ou ir ao médico.

O presidente colombiano também assinou um decreto ordenando os governos locais e regionais a coordenar com Bogotá esforços coletivos para o isolamento em massa da população, após diversos prefeitos e governadores instituírem toques de recolher. A prefeita da capital, Claudia López, por sua vez, convocou uma simulação de quarentena em toda a cidade de sexta a segunda-feira.