Colômbia receberá afegãos colaboradores dos Estados Unidos

·1 minuto de leitura
Afegão aguardam para deixar Cabul

A Colômbia receberá afegãos colaboradores do exército americano evacuados após o retorno do Talibã ao poder, anunciou o governo nesta sexta-feira (20).

O país receberá "temporariamente" "os cidadãos do Afeganistão que há anos prestam auxílio aos Estados Unidos e que estão em processo migratório (...) para o país", afirmou o presidente Iván Duque em comunicado conjunto com o embaixador americano, Philip Goldberg.

O presidente não especificou quantos afegãos chegarão ao país ou quando terá início o processo.

Com isso, a Colômbia se junta a Albânia, Canadá, México, Uganda, Catar e Kuwait, que já concordaram em receber milhares de afegãos colaboradores dos Estados Unidos enquanto completam o processo de visto.

Vários milhares de afegãos irão para os Estados Unidos, país com o qual colaboraram durante os 20 anos de guerra, como intérpretes ou em outras tarefas.

A Colômbia, que vive um conflito armado de seis décadas, também trabalha na regularização de cerca de um milhão de migrantes venezuelanos que chegaram fugindo da crise no país petrolífero.

“Os Estados Unidos não vão apenas arcar com todos os custos do atendimento dessas pessoas, mas também contribuirão para a agilidade de seus processos de imigração”, disse Duque.

Após o retorno do Talibã ao poder, Washington estendeu a militantes de direitos humanos, ONGs e jornalistas a evacuação de pessoas que dizem temer represálias do novo governo.

"Os Estados Unidos estão trabalhando em todo o mundo para cumprir nossa obrigação para com os afegãos", disse o embaixador Goldberg.

jss/lv/dg/jc/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos