Colômbia receberá afegãos que se dirigem aos Estados Unidos

·1 minuto de leitura
Presidente da Colômbia, Iván Duque

BOGOTÁ (Reuters) - A Colômbia hospedará temporariamente afegãos que fogem da tomada de seu país pelo Taliban enquanto aguardam a aprovação para entrar nos Estados Unidos, disse o presidente Iván Duque nesta sexta-feira.

Duque não especificou quantos afegãos transitariam pela Colômbia. Os meios de comunicação dos EUA e da Colômbia informaram que o número será de cerca de 4.000.

O presidente dos EUA, Joe Biden, está enfrentando críticas por sua forma de lidar com a caótica retirada norte-americana do Afeganistão. Os críticos acusam seu governo de avaliar mal a velocidade com que o Taliban assumiria o controle e de desvirtuar o planejamento de retirada de norte-americanos e aliados afegãos após a presença de 20 anos dos EUA no Afeganistão.

“A Colômbia também se junta ao grupo de países aliados que oferecerá apoio aos EUA para que os cidadãos do Afeganistão que ajudaram os EUA durante anos e que estão em processo de registro e transferência migratória para aquele país possam ficar na Colômbia temporariamente", disse Duque em declarações conjuntas com o embaixador dos Estados Unidos, Philip Goldberg.

Mais detalhes serão fornecidos nos próximos dias, segundo Duque.

Os Estados Unidos pagarão o custo da estada dos afegãos no país andino, disse Goldberg, agradecendo à Colômbia por sua ajuda e também por sua generosidade em receber cerca de 2 milhões de imigrantes venezuelanos.

(Reportagem de Julia Symmes Cobb)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos