Colômbia vence Uruguai nos pênaltis e vai às semifinais da Copa América-2021

·4 minuto de leitura

A Colômbia venceu o Uruguai por 4 a 2 na disputa de pênaltis e se classificou para as semifinais da Copa América-2021 após um empate sem gols nos 90 minutos nas quartas de final disputadas neste sábado, no estádio Mané Garrincha, em Brasília.

Duvan Zapata, Davinson Sánchez, Yerry Mina e Miguel Borja converteram suas cobranças para a Colômbia e o goleiro David Ospina defendeu os chutes dos uruguaios José María Giménez e Matías Viña, garantindo a vitória, apesar de Edinson Cavani e Luis Suárez terem convertido suas penalidades para o Uruguai.

A 'Celeste' deixa a competição mais uma vez derrotada nos pênaltis e na mesma fase como aconteceu na edição de 2019 também disputada no Brasil, quando foi eliminada pelo Peru.

Cavani lamentou a eliminação mas motivou sua equipe. "Pênaltis são assim mesmo. Nos pênaltis as coisas podem ir bem ou mal", disse ele.

O atacante analisou a campanha na Copa América. "Os sentimentos são muito bons, não começamos da melhor maneira contra a Argentina, mas o nível subiu, as coisas estavam melhorando e, bem, temos que olhar o que está por vir e continuar trabalhando porque não resta outra coisa".

A Colômbia vai enfrentar na próxima terça-feira o vencedor da partida entre Argentina e Equador, que será disputada em Goiânia neste sábado.

"Foi decisiva a convicção do grupo, o desafio que existe em cada um dos jogadores e em todo o grupo de procurar chegar à final e continuar a melhorar, conscientes de que estamos no caminho certo", comemorou o técnico da seleção da Colômbia, Reinaldo Rueda, na coletiva de imprensa.

Os colombianos são os terceiros garantidos nas semifinais, depois da vaga obtida na sexta-feira pelo Peru, que eliminou o Paraguai também nas penalidades máximas, e pelo Brasil, que venceu o Chile (1-0).

- Recorde e herói 'cafetero' -

As duas defesas que deram a vaga à Colômbia fizeram de Ospina o herói da Colômbia em uma noite em que marcou um recorde histórico ao superar Carlos Valderrama, com 112 jogos pela seleção de seu país.

Com essa vitória, chegou à semifinal da Copa América pela oitava vez, a mais recente em 2016, no centenário do torneio de seleções, nos Estados Unidos.

Assim, a equipe de Reinaldo Rueda supera seu desempenho na edição de 2019, quando foi eliminada pelo Chile nas quartas de final, também nos pênaltis.

A Colômbia, que conquistou apenas uma vitória na fase de grupos, foi obrigada a reorganizar seu meio de campo para esta partida devido aos desfalques de sua peça-chave, Juan Guillermo Cuadrado, suspenso por acumular cartões amarelos, e Matheus Uribe, devido a uma lesão.

A equipe apresentou uma alternativa com peças ofensivas na zona central. O atacante Rafael Santos Borré cuidou da direita, que Cuadrado costuma ocupar com projeção de ataque, comandado por Duvan Zapata e Luis Muriel.

Apesar de não ter conseguido marcar, Zapata foi uma dor de cabeça constante para a defesa uruguaia.

Em uma partida sem profundidade, erros e poucas armações de jogadas dos dois lados, a Colômbia foi crescendo com algumas chegadas de Zapata.

Mas a estratégia conseguiu desgastar o Uruguai. Os colombianos assumiram o controle do meio de campo e deram aos uruguaios pouco espaço de ação para estabelecer a conexão entre Arrascaeta e a temível dupla ofensiva. O desta vez entrou em campo completo, com Luis Suárez desde o início depois de ter ficado entre os reservas no último jogo contra o Paraguai.

Zapata deu o primeiro alerta aos 25 e também assustou aos 44.

O Uruguai, embora desconfortável, teve suas chances. 'El Matador' Cavani se manteve ativo e conseguiu fazer algumas jogadas com Arrascaeta, embora sem chutes certeiros. Vários cruzamentos de Nahitan Nández da direita que alcançaram o meio da área terminaram sem perigo.

- Zapata quase marca -

O jogo ganhou vida e as equipes voltaram com outra energia no segundo tempo e não demorou muito para que fossem criadas chances claras de ambos os lados.

A Colômbia atacou logo no primeiro minuto e Nández quis finalizar para o Uruguai de meia distância, mas seu chute fez Ospina brilhar.

O meia Federico Valverde deu dinamismo ao Uruguai, que começou a tocar a bola e conseguiu se esgueirar em meio à rigorosa defesa tricolor, que contava com a solidez de Yerry Mina.

Quando a Celeste parecia melhor, Zapata voltou a vencer a marcação, agora de José María Giménez, e acertou com a cabeça uma bola que Muslera defendeu.

A reta final dos 90 minutos foi marcada por avanços de um lado para o outro com pressa mútua, mas nenhuma das seleções teve sucesso.

É a segunda vez na história que Uruguai e Colômbia se enfrentam nas quartas de final da Copa América. O primeiro duelo foi no Equador, em 1993, e a Colômbia também conseguiu avançar nos pênaltis.

Uruguai e Colômbia haviam se enfrentado em novembro nas eliminatórias sul-americanas para a Copa do Catar-2022, quando a Celeste venceu por 3 a 0.

O retrospecto entre os dois mostrava uma vantagem uruguaia, mas sua posição na disputa rumo ao Mundial - o Uruguai em quarto lugar e a Colômbia em quinto, ambos com 8 pontos - já indicava que o duelo seria bem acirrado.

"Às vezes surgem certos resultados negativos e é aí que é mais necessário insistir em trabalhar para encontrar soluções; o problema é detectado", disse o técnico uruguaio, Oscar Tabárez, após o jogo.

mls/ma/ol/aam

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos