Colapso da FTX mostra necessidade de regulação das criptomoedas, diz BC britânico

.

Por Marc Jones e Huw Jones

LONDRES (Reuters) - A implosão da FTX mostra a necessidade de trazer o mundo das criptomoedas para dentro da estrutura regulatória, disse o vice-presidente do Banco da Inglaterra (BoE), Jon Cunliffe, nesta segunda-feira.

A plataforma, que entrou com pedido de proteção contra falência nos Estados Unidos, disse que deve a seus 50 maiores credores quase 3,1 bilhões de dólares.

"Embora o mundo dos ativos digitais, como foi demonstrado durante o inverno do setor no ano passado e a implosão da FTX na semana passada, não seja grande o suficiente ou interconectado o suficiente com as finanças convencionais para ameaçar a estabilidade do sistema financeiro, seus vínculos têm se desenvolvido rapidamente", disse Cunliffe.

"Não devemos esperar até que seja grande e conectado para desenvolver as estruturas regulatórias necessárias a evitar um choque de criptomoedas que poderia ter um impacto desestabilizador muito maior", disse Cunliffe em evento da Warwick Business School.

Atualmente, as empresas de criptomoedas no Reino Unido só precisam mostrar que podem implementar controles suficientes para impedir a lavagem de dinheiro, embora muitas tenham tido pedidos de licença rejeitados pela Autoridade de Conduta Financeira da região.

Cunliffe disse que o BoE estabelecerá uma consulta pública para detalhar as regras a stablecoins. Ele também mencionou que as reivindicações dos detentores de criptomoedas junto ao emissor e às carteiras devem ser estruturadas para possibilitar resgate como ocorre com o dinheiro em bancos tradicionais.

"O exemplo da FTX destaca a importância desses aspectos", disse Cunliffe.

Separadamente, o BoE e a pasta Finanças estão analisando o potencial de uma libra digital.

Cunliffe disse que sua visão inicial era de que o fracasso da FTX não teria implicações no potencial prazo para uma moeda digital. No entanto, refletindo, ele disse que a natureza interconectada do mundo digital era relevante.

"Nosso objetivo é garantir que a inovação ocorra, mas dentro de uma estrutura na qual os riscos sejam gerenciados adequadamente", afirmou. "Os eventos da semana passada fornecem uma demonstração convincente do motivo pelo qual isso é importante."