Colegas do cineasta Cadu Barcellos lançam campanha de arrecadação em apoio a família

·3 minuto de leitura

Amigos e colegas de trabalho do cineasta Cadu Barcellos, assassinado na madrugada de terça-feira no Centro do Rio, criaram uma campanha de arrecadação pela internet para dar apoio à família do jovem. Cadu deixou a mulher e um filho de dois anos. Lançada no início da tarde desta quarta-feira (11), a iniciativa já havia arrecadado R$ 69 mil até o início da noite.

Uma das organizadoras da iniciativa é a diretora-geral do programa Greg News, no qual Cadu trabalhava há um ano, Alessandra Orofino. Ela explica que a ideia foi de arrecadar recursos entre amigos de Cadu para garantir os estudos do filho do cineasta, que era assistente de direção do programa.

— Ele tem uma família linda, um filho pequeno, e sabíamos que muitas pessoas que admiram ele profissional e pessoalmente iam querer ajudar — conta — Esse é um pequeno gesto mas que a gente espera que faça uma pequena diferença na vida dessa familia nesse momento. É uma perda enorme para a cidade do Rio e para o audiovisual — afirma.

Alessandra explica que a plataforma ficará no ar por mais alguns dias, e que o recurso arrecadado será repassado integralmente à família, já com o pagamento dos impostos. Ela conta que, apesar de trabalhar com Cadu há um ano, já conhecia o cineasta há uma década.

— Ele era uma pessoa solar, brilhante, extremamente talentoso, sempre disponível e muito engraçado. Foi um alento ter ele na nossa equipe — afirma.

O Flamengo, clube do coração de Cadu, afirmou que fará uma homenagem no jogo desta quarta-feira contra o São Paulo, no Maracanã. Os times farão um minuto de silêncio antes da bola rolar às 21h30 pela partida de ida das quartas de final da Copa do Brasil.

A ação do clube se soma a uma onda de declarações nas redes sociais em homenagem ao cineasta de 34 anos, criador do canal de mídia Maré Vive, que fez parte, entre outros trabalhos, da equipe do filme “Cinco vezes favela – Agora por nós mesmos”, de 2010, produzido por Cacá Diegues e Renata Almeida Magalhães, com o episódio "Deixa voar".

Cadu Barcellos também dirigiu o curta “Feira da Teixeira”, de 2006, produzido pelo Observatório de Favelas, ong em que coordenava o núcleo de audiovisual; e o programa “Crônicas da Cidade”, de 2007, exibido no Canal Futura. Ele também assinou direção e roteiro da série “Mais x favela”, de 2011, do canal a cabo Multishow, e integrou a equipe do documentário “5x Pacificação”, de 2012.

Barcellos foi assassinado na madrugada de terça-feira (10), depois de sair de uma roda de samba na Pedra do Sal, reduto boêmio do Centro. Ele pegou carona num carro de aplicativo com uma amiga e saltou na avenida Presidente Vargas, onde seguiria para casa no bairro Tanque, na Zona Oeste. Cadu teria sido assaltado e esfaqueado no tórax, e ainda correu até a esquina com a rua Uruguaiana, onde pediu socorro a taxistas que estavam no local. Ele não resistiu aos ferimentos e acabou morrendo no local. O caso é investigado pela Delegacia de Homicídios.