Entrega de coletes à prova de bala é o novo atrito da cúpula da PF com equipe de Lula

Sede da Polícia Federal (PF), em Brasília (Foto: Getty Images)
Sede da Polícia Federal (PF), em Brasília (Foto: Getty Images)

Um novo atrito surgiu entre a cúpula da PF (Polícia Federal), em Brasília, e a equipe da corporação que cuida da segurança do ex-presidente e candidato do PT ao Planalto, Luiz Inácio Lula da Silva.

Segundo informações da jornalista Andréia Sadi, da GloboNews, o motivo foi uma entrega de coletes à prova de balas.

Todos os candidatos à Presidência da República têm direito à proteção por agentes da PF. Como Jair Bolsonaro (PL) é o atual presidente, o GSI (Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República) é o responsável pela sua segurança.

De acordo com a jornalista da Globonews, Thiago Ferreira, coordenador de Proteção à Pessoa da PF e responsável pelo contato com as campanhas, cobrou o chefe da equipe de segurança do petista, o também delegado da PF Andrei Passos, “sobre a comunicação com a campanha sobre a retirada de um conjunto de coletes à prova de balas”.

Relatos à coluna da jornalista Andréia Sadi afirmam que Ferreira se incomodou porque queria que Passos fosse pessoalmente buscar os coletes, mas a campanha de Lula não respondeu por WhatsApp sobre quem seria o emissário da campanha.

Um integrante da equipe de Passos que ficou encarregado de fazer a retirada dos coletes.

A cúpula da corporação, então, enviou um ofício à equipe de segurança de Lula reclamando que Passos não tinha respondido por WhatsApp.

O chefe da segurança do petista acabou respondendo, também por ofício, que indicou um representante para retirar os coletes.

Além disso, ainda segundo reportagem, “a informação sobre dia, hora e local para a retirada chegou apenas informalmente, por mensagem de WhatsApp”.

De acordo com Ferreira, todos os chefes de equipes de segurança de presidenciáveis, menos da de Lula, vinham indicando por WhatsApp os policiais responsáveis por pegar os coletes.

A equipe de segurança do ex-presidente respondeu que mesmo com a falha de comunicação, indicou representante que esteve lá na hora para fazer retirada.

Qual a data das Eleições 2022?

O primeiro turno das eleições será realizado no dia 2 de outubro, um domingo. Já o segundo turno – caso necessário – será disputado no dia 30 de outubro, também um domingo.

Veja a ordem de escolha na urna eletrônica nas Eleições 2022

  1. Deputado federal (quatro dígitos)

  2. Deputado estadual (cinco dígitos)

  3. Senador (três dígitos)

  4. Governador (dois dígitos)

  5. Presidente da República (dois dígitos)