Colisão entre trens deixa 40 mortos no Sul do Paquistão

·3 minuto de leitura

ISLAMABAD - Ao menos 40 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas com o choque de dois trens de passageiros que descarrilaram, nesta segunda-feira, perto da cidade de Daharki, na província de Sindh, no Sul do Paquistão. O acidente ocorreu às 3h30 locais (19h30 no Brasil). Um trem procedente de Karachi descarrilou e foi atingido por outro, procedente de Rawalpindi, que andava no sentido contrário, afirmou à AFP um porta-voz da empresa Pakistan Railways.

O acidente aconteceu em uma área remota da província, em um trecho da ferrovia que atravessa plantações, o que fez com que as equipes de resgate demorassem horas para chegar ao local. Por conta do atraso no salvamento, vários passageiros permaneceram presos nos vagões destruídos pela batida.

— Caímos uns sobre os outros, mas isto não foi tão fatal — declarou à AFP Akhtar Rajput, passageiro de um dos comboios que descarrilou — Depois outro trem nos atingiu do nada, muito forte. Quando recuperei a consciência, vi os passageiros ao meu redor, alguns tentavam sair do vagão — completou.

O policial Umar Tufail confirmou o balanço de pelo menos 40 mortos e ainda comentou sobre as pessoas que estavam presas nos destroços do acidente.

— Ainda não conseguimos retirá-los, mas uma operação está em andamento para isso — disse ele aos repórteres no local — Salvamos mais três pessoas; elas estão feridas — acrescentou.

Uma multidão seguiu para o local da tragédia para tentar socorrer os sobreviventes, informou a imprensa local. Imagens gravadas por telefones celulares mostram uma pilha de ferros retorcidos e vários vagões tombados. Conforme eram retirados dos escombros, os corpos das vítimas eram colocados no chão e cobertos com lenços.

As equipes de resgate pediram o apoio urgente de especialistas para conseguir chegar às pessoas presas nas ferragens. Segundo o porta-voz da Pakistan Railways, pelo menos seis vagões foram destruídos.

"O condutor tentou acionar os freios de emergência, mas a locomotiva atingiu os vagões espalhados", disse a Pakistan Railways em um relatório inicial.

Soldados do exército do Paquistão e unidades da Guarda Florestal seguiram para o local para ajudar nas operações de resgate, anunciou o tenente-general Akhtar Nawaz Satti, presidente da Autoridade Nacional de Gestão de Desastres.

O primeiro-ministro paquistanês, Imran Khan, afirmou que estava "comovido" e prometeu uma investigação completa sobre o acidente.

"Estou ordenando uma ampla investigação sobre as falhas na segurança ferroviária", anunciou em sua conta no Twitter.

Os acidentes de trem são frequentes no Paquistão, que herdou milhares de quilômetros de ferrovias e veículos do período em que o território era uma colônia do Império Britânico, uma malha ferroviária com cerca de 165 anos. O histórico no país é de graves acidentes similares ao desta segunda-feira.

Mais de 300 pessoas morreram e 700 ficaram feridas em 1990, quando um trem de 16 vagões com excesso de peso bateu em um trem de mercadorias que estava estacionado perto da cidade de Sukkur. Em outra ocasião, em outubro de 2019, ao menos 75 pessoas morreram em um incêndio no trem em que viajavam de Karachi a Rawalpindi.