"Colocar cabresto”: Alesp avalia nesta terça abrir processo contra deputado por ameaça

Deputada Monica Seixas entrou com pedido de cassação contra Wellington Moura por quebra de decoro; deputado disse que iria
Deputada Monica Seixas entrou com pedido de cassação contra Wellington Moura por quebra de decoro; deputado disse que iria "colocar cabresto" na colega de Alesp (Foto: Mauricio Garcia de Souza/Alesp)

Resumo da notícia

  • Alesp avalia hoje pedido de cassação do deputado Wellington Moura, pedido por Monica Seixas

  • Deputado é acusado de quebra de decoro por dizer que iria "colocar cabresto" na colega de Alesp

  • Sessão do Conselho de Ética será às 14h30 desta terça

Na tarde desta terça-feira (7), às 14h30, o Conselho de Ética da Assembleia Legislativa de São Paulo se reunirá para debater uma série de pedidos de cassação de mantados. Entre eles, do deputado Wellington Moura (Republicanos). Ele é acusado pela deputada Monica Seixas (PSOL) por quebra de decoro, por dizer que “colocaria um cabresto” na colega quando ela tivesse a palavra.

O caso aconteceu em 18 de maio, durante sessão da Alesp. “Vou colocar um cabresto na sua boca", disse Wellington Moura a Monica Seixas. A deputada respondeu: “você não vai calar a minha boca”. O colega, então, disse “vou, sim”.

O cabresto é um equipamento usado na boca de cavalos. Para Monica Seixas, o caso configura quebra de decoro e, por isso, a parlamentar entrou com o pedido de cassação do deputado.

Na mesma reunião, a deputada do PSOL está sendo convocada para uma punição de advertência. O Conselho de Ética da Alesp aprovou a punição devido a parlamentar ter transmitido em suas redes voto junto à co-deputada de seu mandato coletivo durante uma sessão online. Monica, no entendo, afirmou que não irá.

“Tenho nesse mesmo horário uma reunião para denunciar violência de gênero e Raça à ONU. E acredito que essa advertência faz parte dessas violências. Wellington deve ser absolvido do processo que chocou muita gente. Assim como Olim também foi por dizer que Isa teve sorte em ser apalpada”, relembrou. A deputada faz referência ao caso em que o deputado Delegado Olim (PP) disse que Isa Penna (PCdoB) teve “sorte” de sofrer importunação sexual por Fernando Cury (União Brasil). O processo foi barrado na Alesp.

“Eu conversei com colegas que defendem que eu ‘o perdoe’, como o próprio Welington defendeu que Isa perdoasse Cury ao articular a não-punição do colega. Foi Welington quem defendeu e conquistou a redução da pena de Cury e até hoje ataca moralmente Isa Penna pelos corredores. Ele é muito bem relacionado. Enquanto isso, eu vou ser punida por acusação de fraude em uma sessão que eu fiz fala, defendi o projeto e eu mesma filmei nosso voto coletivo e publiquei nas redes”, declarou.

Em contato com o Yahoo! Notícias, a equipe do parlamentar afirmou que a peça de defesa de Wellington Moura foi providenciada e, agora, o deputado aguarda o posicionamento da comissão. O encaminhamento será tomado conforme a decisão do Conselho de Ética.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos