Comércio da cidade do Rio de Janeiro fecha a partir de hoje

Cristina Indio do Brasil - Repórter da Agência Brasil

O comércio da cidade do Rio de Janeiro está fechado, por tempo indeterminado, a partir de hoje (24), por determinação do prefeito Marcelo Crivella. É mais uma medida do governo municipal para evitar a expansão do novo coronavírus (covid-19) na capital. Locais de comércio popular, como o da Sociedade de Amigos das Adjacências da Rua da Alfândega (Saara), no centro da cidade, estão com cenários completamente diferentes do que costumam ter diariamente. As ruas estão vazias, as portas das lojas, fechadas e sem movimento de consumidores.

A Avenida Presidente Vargas, via de grande movimentação em dias normais e que tem parte dela próxima ao comércio da Saara, também tem um panorama parecido ao que se nota em domingos. Quase não há circulação de veículos e poucas pessoas passam pelo local. A população está atendendo às orientações das autoridades de saúde de ficar em casa.

Rio de Janeiro tem o primeiro dia de comércio fechado por deter
Rio de Janeiro tem o primeiro dia de comércio fechado por deter
Rio de Janeiro tem o primeiro dia de comércio fechado por determinação da prefeitura - Tania Regô/Agência Brasil

O prefeito Marcelo Crivella explicou, ontem (23), em entrevista coletiva, que, em função do fato de o comércio ter muitos trabalhadores que moram em comunidades, a intenção é que o fechamento possa evitar a contaminação dessas pessoas e em consequência a infecção dos vizinhos e parentes nas regiões onde residem.

O fechamento determinado pelo prefeito exclui, no entanto, as farmácias, os supermercados e os hortifrutis. Para esses estabelecimentos, a prefeitura recomendou a ampliação dos serviços para 24 horas. As padarias também podem abrir com a recomendação de que se evitem aglomerações. As pet shops e as lojas de equipamentos médicos e ortopédicos também poderão funcionar. Os postos de gasolina estarão abertos, mas as lojas de conveniência devem ficar fechadas.

Embora os mercados estejam abertos, o prefeito pediu aos donos dos estabelecimentos que intensifiquem os serviços de entregas, especialmente nas compras realizadas por idosos. “Esse é um apelo que o prefeito está fazendo aos grandes empresários. Sei que vocês não têm estrutura, mas este é um momento difícil e pedimos a vocês que façam isso”, disse, acrescentando que, nos casos de idosos que se desloquem até as lojas, que sejam atendidos prioritariamente e assim sejam evitadas aglomerações.

Primeiro dia de comércio fechado por determinação da prefeitu
Primeiro dia de comércio fechado por determinação da prefeitu
Estação do metrô no Flamengo com pouca movimentação, no primeiro dia de comércio fechado por determinação da prefeitura - Tania Regô/Agência Brasil

Shoppings

Os shoppings devem permanecer fechados, e a exceção é apenas para o funcionamento das praças de alimentação, mas com recomendação para entrega em domicílio. Como também os bares e restaurantes, que funcionarão apenas com delivery.

As feiras livres têm permissão de se instalar, mas voltam a ser semanais. A orientação é que seja feito um rodízio de funcionamento das barracas, entre as pares e as ímpares, cada uma em semanas diferentes.

Comlurb

Nas ruas da zona sul, da Barra da Tijuca, áreas com mais casos do novo coronavírus na cidade, e no centro, o que se viu hoje desde cedo foi a operação da Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb) de lavagem e desinfecção das vias e em superfícies de pontos de contato em pontos de ônibus, nas estações do BRT, do metrô, barcas e trem, na Central do Brasil, na rodoviária. A lavagem inclui os entornos de hospitais municipais e estaduais.